Whisky

Whisky

terça-feira, 7 de fevereiro de 2017

Desvendando Nº 50: The Famous Grouse Finest


A empresa Matthew Gloag & Son foi aberta em 1800 como uma mercearia de vinhos e destilados em Perth. Pelas próximas gerações, a companhia cresceu bastante e começou a fazer estoques de whiskies finos através de parceria com as principais destilarias.

O blend mais vendido na Escócia foi criado pelo empresário em 1896. No início, a bebida era conhecida simplesmente como The Grouse Brand e sua filha Phillipa criou o rótulo. Mais tarde se tornou The Famous Grouse. Foi um passo bastante incomum para a época, pois todas as marcas carregavam o nome de seus fundadores. O tetraz vermelho (red grouse, em inglês) é uma ave de caça bastante comum nas Highland escocesas. A empresa passou de geração a geração até 1970, quando os impostos sobre heranças obrigaram a família a vendê-la para a Highland Distillers, que hoje faz parte do Edrington Group.

Por sua qualidade e sua consistência, o blend ganhou ótima reputação em pouco tempo, e em 1897 os anúncios da marca já traziam ao lado do nome as palavras “The Famous” (o famoso, em português) em estilo manuscrito. As vendas cresceram mais que o mercado nos 20 anos seguintes e a visibilidade dos produtos The Famous Grouse aumentou. Hoje, com vendas que chegam a quase 3 milhões de unidades por ano, a marca é uma das dez maiores do mundo.


O Edrington Group tem algumas das melhores destilarias produtoras de single malt da Escócia, entre elas, Highland Park, Macallan e Glenrothes. Naturalmente, há altas proporções desses excelentes whiskies no blend.

Ao whisky The Famous Grouse é dispensada grande importância ao processo de casamento, através do qual, depois do blending, o whisky é reduzido a 45% ABV e passa vários meses descansando em barris de xerez, para permitir que as interações entre malte, grão e água atinjam um equilíbrio. Isso gera um produto consistente, que é, então, filtrado à temperatura bastante branda de 4ºC, usando-se um filtro largo, para que se mantenham, tanto quanto possível, o sabor e a textura originais do whisky. A empresa também produz vários blended malts, com envelhecimento de 10 a 30 anos.

O que pude perceber:
Características: cor dourada, pouco corpo.
Aroma: o whisky número 1 da Escócia tem uma explosão de aromas. Difícil definir cada aroma sem se concentrar para tal. Primeiramente, o que fica mais evidente são as especiarias, provavelmente provenientes dos barris de xerez, bastante presentes. Picante, frutado e amadeirado. Um pouco de cereais mas, neste whisky, os whiskies de grãos não estão tão evidentes, embora possam ser sentidos, de maneira sutil. Um pouco de amêndoas e um certo toque defumado podem ser sentidos. Embora proporcione um certo ardor nas narinas, o álcool não se mostra muito forte. Chocolate amargo e açúcar mascavo completam esta primeira incursão pelo aroma. Com a adição de um pouco de água, evidenciam-se os cereais. Em seguida, surgem baunilha e açúcar mascavo. Nozes, amêndoas e um defumado sutil. Continua picante. Com uma pedra de gelo se torna um cereal mentolado. Mais fresco e mais suave. Mais frutado e mais cítrico também. Desta forma, sente-se um pouco mais da influência do xerez.
Paladar: no paladar é onde os whiskies de grãos ficam evidentes um pouco mais, deixando, de início, um certo amargor, que logo passa, sendo sobrepujado, então, pela baunilha. Notas de especiarias também surgem, juntamente com um amadeirado. Aparecem também amêndoas, nozes e um certo frutado. Finaliza de uma maneira um pouco picante. Possui finalização média. Com água, continuam os cereais, fica um pouco cítrico, mais suave, mas finaliza de uma forma mais picante e seca do que o normal. O gelo acabou por deixá-lo mais amargo. Os whiskies de grão tomam conta. O final é seco e amargo. Acabou que o gelo deu uma desequilibrada na bebida, não funcionou.


Whisky preferido dos escoceses. Para mim, considero um whisky sazonal, daqueles em que o paladar vai mudando com o tempo.

No início de minhas degustações de whisky, considerei como meu whisky preferido, do dia a dia, quando cheguei a ter de uma vez só, oito garrafas, para não ter o perigo de ficar sem.

Mas o paladar vai mudando com o tempo e, hoje, não o considero mais um whisky que deva ser investido para o dia a dia. Para o meu paladar, se tornou amargo demais. Não sei se foi a sua composição que mudou com o tempo ou se foi meu paladar mesmo. A verdade é que ele não desce redondo como antes. As garrafas que sobraram serviram para presentear os amigos.

De qualquer forma, acredito que o The Famous Grouse seja um whisky coringa. Com ele se estará bem em qualquer ocasião. Num happy hour com os amigos, numa festa, na balada, num churrasco, num final de dia estressante. É um ótimo blend de excelente custo x benefício, superior aos standards comumente vendidos no mercado brasileiro.




The Famous Grouse Finest

Blend Teor Alc 40%


Carvalho e xerez no nariz, bem equilibrado com uma nota cítrica. Repleto de frutas de cores vivas. Limpo, com um final moderado e seco.

22 comentários:

  1. dizem que o white e mackay é o preferido pelos escoceses .Michel você que possui um conhecimento grande sobre whiskys, qual você indicaria com um custo beneficio maior?(qualidade, preço) no caso falando sobre whiskys standard sem idade, considerando uma valor maximo de 100 reais pois é onde 90% deles se enquadram, com algumas exceções.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. cleverson, dentro desta faixa de preço eu ficaria entre o Hankey Bannister Original, o White Horse ou o Grant's. Pagando um pouco mais, e se conseguir encontrar, um blended fora de série é o japonês Kakubin. Um abraço.

      Excluir
  2. red label e jack daniel's e jim beam, são exemplos de excessões em que o qualidade do produto não acompanha o preço. eu tenho verificado e eles andam na faixa de 120 a 140 reais em alguns lugares.praticamente eles dobraram o preço, pois até pouco tempo atras, custavam na faixa de 60 a 85 reais.eu acho um absurdo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. concordo com você cleverson. A qualidade não acompanhou a alta nos preços destes whiskies. Felizmente estamos tendo outras opções no mercado. Um abraço.

      Excluir
    2. Jack e Jim eram bebidas vendidas em bancas de jornal e lojas de conveniência para baladeiros, hoje são caros, também não entendo. E não pago, me provocam dores de estomago no dia seguinte.

      Excluir
    3. Renato, nos EUA creio que ainda continue assim. Aqui no Brasil é que foi "glamourizado". Marketing aproveitador do setor de bebidas. E tem gente que paga. Assim como você, eu também não pago. Um abraço.

      Excluir
  3. È claro que existem outras exceções, em que são whiskys que raramente aparecem no mercado brasileiro e quando isso acontece você paga um pouco mais caro pela, digamos assim exclusividade.vou pegar por exemplo os grant's NR.1 e 2 que ainda não apareceram por aqui. se aparecer com certeza o precinho sera meio salgado por serem diferenciados. estou namorando eles no mercado livre.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. cleverson, você não irá se arrepender em experimentá-los. São whiskies diferenciados. Por isso mesmo não são considerados standard e possuem uma qualidade melhor. Um abraço.

      Excluir
  4. Michel, boa tarde.
    Tenho sentido falta das expressões Blended Malt da Famous Grouse no mercado brasileiro. Acessando o site da industria, não encontro mais estas expressões.
    teriam sido descontinuado?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bom dia Gláubio Leite. A Famous Grouse passou recentemente por uma reformulação, tanto em sua administração quanto em seus produtos. Uma dessas consequências foram, além das mudanças de embalagens (garrafas e rótulos), alguns acréscimos e supressões de whiskies em seu portfólio. Os acréscimos foram muito bem explorados através de marketing, porém as supressões não foram divulgadas. O certo é que não há mais realmente as expressões de blended malts em sua página, o que nos leva a crer que foram suprimidas. Um abraço.

      Excluir
    2. The Famous Grouse blended malt 12 anos já está a venda em Lisboa. No Brasil ainda não chegou, mas provavelmente será na faixa de R $ 350,00

      Excluir
    3. Thiago Ximendes, não tive ainda a oportunidade de experimentá-lo mas, quem já o fez, gostou bastante. Espero que chegue logo ao nosso mercado. Um abraço.

      Excluir
  5. Olá, gostaria de presentear um amigo na formatura. Já ouvi falar muito desse uisque. Você teria outras opções boas para isso. Até com um preço um pouco mais elevado que este, mas não muito. Na faixa de 100 a 160 reais. Obrigado

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bom dia. Os presentes são muito relativos, pois irá depender muito do gosto da pessoa, se ela já é iniciada na degustação de whisky, enfim... mas considero como boas dicas e dentro da faixa de preço mencionada, no nosso mercado hoje, Chivas Regal Extra, Dewar's 12 anos, The Black Grouse, para ficar na família do Famous Grouse, e Glenlivet Founder's Reserve, entrando no mundo dos single malts. Qualquer outra dúvida estou à disposição. Um abraço.

      Excluir
    2. Comprei o Chivas Extra por 160,00 e estou MUITO satisfeito. É "quase" um Chivas 18. Gostei muito mesmo. Pena que é só 750ml.

      Excluir
    3. Pagou bem Renato. Já vi em muitos lugares o preço do Chivas Extra cruzar a marca dos R$ 200. Uma pena.

      Excluir
  6. O Famous é um dos meus favoritos, em termos de relação custo benefício. Aliás, é a bebida que me ensinou a gostar de destilados, depois de uma vida dizendo que só gostava de cerveja.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. rgochina, o Famous é um excelente custoxbenefício. Eu também, antes de entrar para o mundo do whisky, era fã incondicional de cervejas e vinhos. Hoje ainda bebo uma cervejinha de vez em quando, mas a frequência diminuiu bastante. Um abraço.

      Excluir
  7. Michel,primeiramente obrigado p/vc compartilhar conosco seu conhecimento.Estou aprendendo.Experimentei o Famous, gostei porém o achei adocicado demais p/ meu gosto, talvez eu esteja errado.O preço é excelente pois confere com minha disponibilidade mas não consigo me desvencilhar do J&B Rare.Será que o Cutty Sark é um pouco diferente, ou mesmo o Grants. Obrigado.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado pelas palavras paulo cesar trindade. Vamos por partes então: já experimentou whiskies defumados? Se sim, poderá gostar do Black Grouse, da mesma família do Famous Grouse, menos doce e mais esfumaçado. Se você não consegue se desvencilhar do J&B, o Cutty Sark vai na mesma linha e voc~e poderá gostar. Já o Grant's tem uma pegada um pouco mais forte mas, dos três, é o meu preferido. Um abraço.

      Excluir
  8. Experimentei o Famous Grouse num pequeno restaurante de interior, num lugar muito improvável, onde, por sorte, o dovo era colecionador de entendido de whisky e whiskey. ele tinha uma bela coleção de whiskys caros, e como eu não estava muito disposto a gastar, pedi o que ele tinha de mais barato (ficou entre Red Label e Famous Grouse), torci o nariz para o Red (na verdade recusei mesmo pq não gosto) e ele me disse para experimentar o Famous Grouse que não iria me arrepender. Para minha surpresa, gostei mesmo. Acabei repetindo a dose.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O The Famous Grouse sempre é uma boa pedida. Ainda mais se a outra opção for o Red. Boa experiência. Agora é comprar a garrafa, hehe. Um abraço.

      Excluir

Dê sua opinião: