Whisky

Whisky

sábado, 15 de agosto de 2015

Desvendando Nº 26 - Laphroaig Quarter Cask

Ame ou odeie”, dizia um dos slogans para divulgação do Laphroaig (lê-se lafróig).


A destilaria Laphroaig foi fundada em 1810 por Alexander e Donald Johnston, embora a produção oficial tenha levado cinco anos para começar. A vida ao lado da igualmente famosa Lagavulin nem sempre foi fácil. Houve disputas pelo acesso à água, mas, hoje, o sentimento que prevalece é de respeito mútuo. A Laphroaig é uma das poucas destilarias que mantiveram as maltagens em piso, que suprem um quinto das necessidades da casa. E o fato de existir esse tipo de maltagem torna a visita à destilaria ainda mais interessante.

A Laphroaig sempre apreciou a característica defumada e pungente do seu malte, mistura de cânhamo, sabão carbólico e fogueira. Dizem que seu caráter medicinal intenso é uma das razões pelas quais a bebida estava entre os poucos whiskies escoceses permitidos nos EUA durante o período de proibição. Seu whisky era aceito como spirit medicinal e podia ser obtido por meio de prescrição médica. Sendo o mais medicinal dos malts, remete a gaze hospitalar, faz lembrar antisséptico bucal, fenol. È a personalidade de Islay com a intensidade de algas marinhas e iodo.


Laphroaig significa “a bela depressão junto à baía larga” em gaélico. É feito colocando-se primeiramente de molho a cevada em água sem sais, turfosa de Islay e deixando-se que germine, o que envolve remexê-la manualmente no chão de maltagem por seis dias. A cevada germinada é, então, seca num fogo circulatório de turfa, e a fumaça dessa pungente turfa de Islay é que dá ao Laphroaig sua distintiva característica. Após a destilação, o whisky é maturado em tonéis de carvalho do Kentucky, empilhados nos galpões de maturação no litoral. Aqui ele é banhado pelo vento fresco e salgado do Atlântico, e, em noites de tempestade, sabe-se que o mar entra nos galpões, bem abaixo dos barris. Não é surpresa que o sabor turfoso único do Laphroaig carregue uma forte nota de iodo e acentuado e salgado ar do Atlântico.

Ele é denominado “o definitivo whisky de malte de Islay” porque é a essência do sabor de Islay, rico, defumado, turfoso e cheio de personalidade. O Laphroaig é decididamente um gosto adquirido, partilhado por Sua Alteza Real, o príncipe de Gales, que premiou o Laphroaig com seu Certificado Real em 1994 e encomenda sua própria edição, a ”Highgrove”.


A destilaria possui sua própria reserva de turfa em Islay, floor maltings na destilaria e alambiques relativamente pequenos. Seus depósitos de maturação ficam de frente para o mar. Em 1847 o fundador faleceu ao cair dentro de um barril de whisky. No final dos anos 1950 e início dos 1960, a destilaria pertenceu a uma mulher, a srta. Bessie Williamson. O ambiente romântico das instalações tornaram a destilaria popular para casamentos, e ela serve como salão comunitário do vilarejo. Pertence atualmente à Beam Global, sendo administrada por uma equipe dedicada que deve garantir a ela um futuro brilhante.

Apesar de tudo, muitos acham que o famoso ataque do Laphroaig diminuiu nos últimos anos, revelando um pouco mais da doçura do malte. Mas continua sendo um whisky de forte personalidade, encorpado e untuoso.


Todos os Laphroaig são envelhecidos exclusivamente em barris de carvalho americano, provenientes da Maker's Mark. O resultado é o mais marítimo dos maltes de Islay, medicinal, com toques de iodo, arenque, sala de máquinas e fumaça, mas suavizado pela doçura do carvalho. É esse caráter de baunilha que abranda as notas rústicas do espírito novo e adiciona uma doçura sutil ao espírito maduro.

Nesta edição, a Quarter Cask, o Laphroaig jovem passa por um breve período de maturação extra em pequenos e novos barris equivalentes a meias pipas, feitos de carvalho americano. Ao aumentar a proporção entre madeira e whisky nos sete meses antes do engarrafamento, o processo de maturação é acelerado. Esta nova versão do malte, parcialmente maturado em barris de 57 litros, foi a responsável por recuperar parte da intensidade que os apreciadores procuram. A baunilha e o teor defumado estão em seu auge.


Minhas impressões:
Cor: dourado claro, médio corpo.
Aroma: fumaça. Bacon. Presunto defumado. Notas de remédios. No fundo, mas bem no fundo mesmo, dá para sentir um pouco de doçura. Mas o defumado é o aroma que está sempre presente. Com a adição de um pouco de água o aroma fica mais suave
Paladar: começa doce e suave, daí vem a presença do álcool que é um pouco elevado, 48%, e então, vem a explosão de fumaça, do defumado e também de notas salgadas. Depois de acostumar um pouco com estas sensações, começa-se a perceber que também há algumas notas frutadas. Com um pouco de água ele começa doce, fica cítrico, frutado, e então volta a fumaça e o teor salgado preenchendo tudo.

Não o experimentei com gelo. O curioso foi que, assim como havia percebido com o Benriach Curiositas 10 Anos, a adição de água fez com que a fumaça se retraisse. Ela ainda está lá, mas bem mais leve. Interessante também é perceber que, apesar do teor alcoólico mais elevado, 48%, tanto com água quanto sem, ele não parece ser tão forte. Você percebe o álcool, mas não incomoda.

No mesmo dia da degustação, havia comprado uma Copa fatiada como tira gosto. Adivinhem? Tem o mesmo cheiro e gosto do Laphroaig. Inclusive tenho um amigo leitor que acompanha o blog que o apelidou de “porquinho”, por causa do cheiro de bacon defumado.

Deixei o whisky na taça descansando de um dia para o outro, com uma tampinha para reter os aromas. Quando removi a tampa no outro dia, o que senti foi uma explosão de fumaça escapando e, depois, ficando com um aroma doce. No paladar também ficou mais doce.

Falando um pouco sobre a madeira, no século 19, o whisky era transportado através da Escócia sobre lombos de cavalos, utilizando-se para isso de pequenos barris, os Quarter Cask. São estes mesmos barris que hoje são utilizados para finalizar a maturação deste Laphroaig, proporcionando um contato com a madeira 30% maior, acelerando sua maturação.

O Laphroaig Quarter Cask utiliza whiskies envelhecidos entre 5 e 11 anos com teor de fenol de 40-43 ppm. Um clássico de Islay para quem curte whiskies defumados. Rico e complexo, certamente é um exemplar que todo apreciador deveria experimentar.




Laphroaig Quarter Cask

Single Malt: Islay Teor Alc 48%


O Quarter Cask está no coração da produção principal da Laphroaig. Barris pequenos aceleram o processo de maturação e causam sabor doce e amadeirado, que sucumbe à explosão triunfal de turfa defumada.

14 comentários:

  1. Opa, o Porquinho foi o único Laphroaig que degustei até agora. Mas adorei. Agora estou namorando o 18.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Vou experimentá-lo na degustação em São Paulo dia 29. Nos vemos lá.

      Excluir
  2. Realmente muito bem lembrado ,também tive essa impressão de apesar do teor alcoolico de 48% , não incomoda...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Isso mesmo Marcos Vicente, desce redondo. Continue acompanhando as postagens. Um abraço.

      Excluir
  3. Muito bom o review, parabéns!
    Preferes este ou o 10 anos?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado pelas palavras Daniel Mello. Dos dois prefiro a versão Quarter Cask. Acho que a influência do carvalho das barricas menores contribui para o sabor. Um abraço.

      Excluir
  4. Grande review Michel Vc presta um valioso serviço ao grupo de apreciadores do Brasil

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado Wesley. Continue acompanhando. Um abraço.

      Excluir
  5. Grande review Michel Vc presta um valioso serviço ao grupo de apreciadores do Brasil

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado Wesley. Continue acompanhando. Um abraço.

      Excluir
  6. Estou bem curioso por um turfado...
    Mas não encontro nada em bares para experiência...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Heliton, poderá começar com o Black Grouse ou mesmo o JW Double Black para experimentar. Acredito que estes possam ser encontrados em bares.

      Excluir
    2. Taí uma dúvida, pois não conheço o Black Grouse. Já o JW Double Black eu acho excelente e muito saboroso, porque o malte se destaca e ele fica com pouco gosto de whisky de grãos. O Famous Grouse Finest é leve, bastante suave. Michel, como é o Black Grouse?

      Excluir
    3. Cesar, o Black Grouse combina aromas frutados e turfados. O paladar é turfado e medicinal, com sabores de especiarias e cereais, mas também tem um fundo adocicado. Muito bom.

      Excluir

Dê sua opinião: