Whisky

Whisky

domingo, 4 de maio de 2014

A Origem do Whisky

A origem do whisky remonta o início do processo de destilação em si, descoberta e bastante utilizada pelos monges budistas para o processo de fabricação de perfumes. Países como Irlanda e Índia reivindicam sua “paternidade”. Segundo os indianos eles já produziam o whisky há cerca de 800 anos a.C., já os irlandeses dizem que o padroeiro do País, ST. Patrick, nos anos 400 fabricava uma bebida com os mesmos ingredientes do que conhecemos como whisky.

A produção de whisky na Escócia provém de várias tradições que foram introduzidas por São Patrício da Irlanda no século IV ac., e a destilação era feita por indígenas nas terras altas, segundo relatos muito vagos.

A primeira vez em que há menção escrita da fabricação de whisky foi em 1494. Naquele mesmo ano o humilde frade John Cor recebia uma interessante autorização. Um lançamento em livro do fisco escocês (Scottish Exchequer Rolls) dizia "Eight bolls of malt to Friar John Cor wherewith to make aqua vitae". Ou seja, o rei James IV autorizava o envio de oito “bolls” (ou cerca de 1.200 quilos) de cevada maltada para que o piedoso frei fizesse "aqua vitae". O frade Cor pertencia à Ordem dos Beneditinos na Abadia de Lindores (um pouco ao norte de Edinburgo, na divisa entre as Lowlands e as Highlands). Conta a tradição que essa solicitação resultou do primeiro contato do rei com a "aqua vitae" na ilha de Islay um ano antes, onde teria estado em campanha. Verdade ou mentira, trata-se da primeira menção escrita da destilação daquilo que muito mais tarde veio a ser chamado de Scotch Whisky.

No sentido etimológico a palavra Whisky vem de “uisge”, forma abreviada do termo gaélico “uisge beatha” ou “aqua vitae” (água da vida/eau de vie/water of life). O que acaba tendo relação direta com esta bebida que alegra, relaxa e socializa. Ou seja, no começo, sua produção estava ligada aos monastérios, que usavam o licor produzido com ervas e especiarias, para fins medicinais, por isso era conhecido pelo nome de aqua vitae.


Apesar de consumido e produzido em várias partes do mundo, é o whisky escocês o de maior fama e credibilidade. Isso se deve sobretudo ao tempo e experiência no processo de destilação. 
Mas não é só a experiência, o cenário escocês também é bastante propício para a fabricação da bebida: o clima, a geologia, as fontes de águas puras e propriedades exclusivas, a qualidade da cevada e principalmente por uma pequena flor presente no nordeste da ilha, em uma região chamada Speyside. Esta pequena flor de nome Urze ou Heather empresta seu aroma floral e frutado a metade dos whiskies produzidos na Escócia.

A força e a tradição da Escócia na produção de Whisky é tão grande que só se pode colocar no rótulo a denominação Scotch quando a bebida é fabricada exclusivamente no país. Nenhuma destilaria do mundo pode se utilizar deste nome, mesmo que importe o malte da Escócia. Ainda, para ser um autêntico Scotch Whisky, é preciso ser produzido a partir de água e cevada na qual somente grãos integrais de outros cereais podem ser adicionados. Outro detalhe importante é que somente levedura pode ser utilizada para a fermentação. O whisky deve permanecer em barris de carvalho por pelo menos 3 anos em um armazém na Escócia. O mínimo de volume alcoólico é 40%.

 
Fontes: Whisky Magazine, Whisky Brasil, Clã do Whisky, Revista Mensch

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Dê sua opinião: