Whisky

Whisky

sexta-feira, 16 de maio de 2014

Desvendando Nº 1: VAT 69

Hoje farei a apresentação do primeiro whisky aqui no blog. Não foi o primeiro whisky que adquiri, irei falar dele porque era o que estava aberto em minha prateleira e também porque é um whisky bem conhecido dos brasileiros, com muita história. Eu, por exemplo, lembro quando era garoto que meu pai possuía sempre uma garrafa deste whisky em casa, e até hoje a garrafa permanece a mesma, inalterada. Era, inclusive, o Scotch preferido do poeta Vinícius de Moraes, autor da frase que abre este blog.
VAT 69 é um Scotch blended whisky produzido por William Sanderson & Son Limited of South Queensferry, West Lothian, Escócia. Em 1882, William Sanderson preparou cem barris de uísque blended e contratou uma equipe de peritos para prová-los. O lote do barril com o número 69 foi considerado o melhor, originando então, o nome do whisky.
História
William Sanderson nasceu em Leith, Escócia, em 1839. Começou como estagiário de um produtor de vinho e licores quando tinha ainda a idade de 13 anos. Em 1863, já era dono de seu próprio negócio e produzia licores e misturas de whisky. Em 1880, seu filho William Mark juntou-se ao negócio. William Mark convenceu o pai a engarrafar várias misturas de whisky.
O típico VAT 69 e sua garrafa tradicional foram introduzidos no mercado e não foram alterados em mais de cem anos. Em 1884, Sanderson comprou a Glengarioch Distillery que ficava situada no meio de um campo de cevada. A destilaria foi comprada para garantir a entrega de whisky de grãos. Sanderson teve o cuidado para que houvesse sempre novos produtos a serem misturados, porque a DCL, que era uma sociedade forte na época, controlava uma grande quantidade da produção, tanto que poderia influenciar a oferta da empresa, tornando a concorrência muito sensível. Mais tarde, Sanderson, juntamente com Usher e Bell, fundou uma companhia para produzir whisky de grão, que ainda existe hoje como "North British Distillery”. Sanderson obtinha alguns whiskys de malte que ele precisava para misturar seu VAT 69 de um amigo, John Begg, que possuía o "Real Lochnagar Distillery". Quando Begg morreu, Sanderson tornou-se diretor da Destilaria de Begg. Em 1933, a empresa de Sanderson fundiu-se com a Booth’s Distillery, que se fundiu novamente com a DCL Group em 1935.

Blend

Apesar do nome, o VAT 69 não é um malte vatted (mistura de vários single malts), mas uma mistura de cerca de 40 grãos de malte e whiskies. Os diferentes maltes são misturados um com o outro na fase de maturação e otimizada para garantir a melhor combinação. Isto significa que um malte leve de oito anos, tendo atingido o seu ápice de amadurecimento e proveniente das Lowlands acrescenta o mesmo resultado para a mistura como um malte de turfa 18 anos amadurecido de Islay. Portanto o Vat 69 não carrega nenhuma declaração de idade.
Em seu auge, o VAT 69 foi o 10º whisky mais vendido do mundo. Hoje, sua proprietária, a Diageo, dá prioridade aos whiskies Johnnie Walker e J&B, e não deve ser irracional sugerir que, apesar de exportar mais de 1 milhão de unidades por ano, os dias de glória do VAT 69 ficaram para trás.

Curiosidade

Vat 69 era o whisky favorito do Capitão Lewis Nixon no livro e minissérie Band of Brothers. Antes do Dia D, para evitar que sua bebida fosse confiscada, ele usou o baú de seu amigo Richard Winters para armazenar seu estoque. Durante o curso da guerra, Nixon se tornou um alcoólatra e realizava um grande esforço para obter seu Vat 69. No episódio 9, "Why we fight”, ele é visto tomando várias doses de uma garrafa de Vat 69 e contava com os soldados da Companhia para ajuda-lo a encontrar mais.
Fiz a degustação para apresentar a vocês. Quero deixar claro que não sou expert no assunto, apenas mais um curioso que aprecia a bebida e gosta de brincar de degustação. As notas oficiais são estas:
Cor: âmbar
Aroma: doce, notas de caramelo, grãos de cereais.
Sabor: manteiga derretida, ervas e um toque de amargura que lhe dá o sabor característico.
Final: longo e doce.
O que pude perceber:
Aroma: na primeira vez que se experimenta, o primeiro cheiro que vem é o de álcool puro. Nas próximas vezes, passado o impacto inicial, é possível perceber que o whisky é doce, lembrando um pouco de baunilha. Quando se adiciona água, o aroma fica ainda mais doce.
Sabor: como foi dito no post anterior, whisky tem de ter gosto de whisky. E este tem, e muito. É forte, encorpado, amargo até. Quando se experimenta a primeira vez, a língua fica adormecida pelo álcool. Tem sabor de cereais. Quando se adiciona água, atenua-se o sabor do álcool. Acrescentando uma pedra de gelo, atenua um pouco mais o sabor do álcool e acentua o sabor de cereais. O final é longo, ou seja, o gosto permanece por um bom tempo.
Não é um whisky que eu indicaria, principalmente para quem estiver iniciando no mundo desta bebida. Quem tiver um primeiro contato com ele vai achar que todo whisky é deste jeito e vai desistir de apreciá-lo. Quando provei da primeira vez falei: nossa, parece que estou bebendo uma aguardente das brabas. Mas assim como todo whisky, é preciso achar o seu ponto certo, aquele que torna mais agradável ao paladar, e o ponto certo deste whisky, na minha opinião é com um pouco de água e uma ou duas pedras de gelo. É um whisky barato, fácil de encontrar, gira na casa dos R$ 40,00. Comprei o meu no Walmart por R$ 34,00. É o preço de uma cachaça.
Saúde.


VAT 69

Blend teor Alc 40%

Um blend padrão, leve e bem equilibrado, com impacto doce e notável de sorvete de baunilha no início e malte agradável ao fundo.



Fontes: wikipedia, o livro do whisky

27 comentários:

  1. Bem lembrado pelo colega SALINHO, do fórum do whisky no PVT, o VAT 69 era o whisky preferido de Vinícius de Moraes. Salinho, obrigado pela lembrança, post editado.

    ResponderExcluir
  2. Michel, muito bom o seu site. Estava procurando um com essas informações de degustação. Também sou um iniciante. Comprei uma garrafa de VAT 69 e achei muito saboroso, picante e até adocicado. Comparando com o JW Red que eu tinha aberto na época, o VAT não deixa nada a desejar, além de ser mais barato...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bom dia PV. Que bom que tenha gostado do blog. Procuro trazer sempre novas informações e matérias para ajudar, principalmente, quem está começando neste mundo. Minha intenção neste blog foi justamente esta, colocar informações que eu mesmo, quando comecei a me interessar por whiskies, não encontrava facilmente. Quanto ao VAT 69, realmente ele tem um ótimo custo benefício e, achando o seu ponto certo, não deixa a desejar. Abraço.

      Excluir
  3. Parabéns pelo artigo. Conheci esse uísque pela série citada. Quando comprei uma garrafa gostei bastante. Deixei um pouco o White Horse pelo Vat 69.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Boa noite Hilton. Que bom que gostou do artigo. Quanto ao VAT 69, conheço-o desde criança, meu pai sempre tinha uma garrafa, mas só fui apreciá-lo muito tempo depois. O White Horse também é muito bom, principalmente por ter o aroma e o sabor esfumaçado, o que eu aprecio. Espero que continue acompanhando o blog. Um abraço.

      Excluir
  4. Olá! O whisky preferido de Vinicios de Moraes era o White Horse, não? Abraço. Rubens

    http://veja.abril.com.br/blog/ricardo-setti/tema-livre/uisque-a-ex-bebida-de-homens-mais-velhos-cai-no-gosto-de-jovens-de-ambos-os-sexos-e-admite-ate-mistura-com-sucos-de-frutas/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Boa tarde Rubens. Vários whiskies já pegaram carona nesta fama, não só o White Horse como também o Black & White. Parece que os jornalistas gostam da palavra White e esquecem de pesquisar. Não só o VAT 69 era o preferido do Vinícius de Moraes como também ele próprio era conhecido pelo whisky que bebia. Entre seus pares, era chamado carinhosamente de "Vate 69". Vate era uma antiga palavra portuguesa sinônimo de poeta. Além disso, em seu aniversário de 69 anos, Vinícius planejava uma festa regada a quê? Adivinhe. Infelizmente não viveu para comemorar esta data.
      Um abraço e continue seguindo o blog.
      http://www.livrosepessoas.com/tag/vinicius-de-moraes/
      http://www.gazetadopovo.com.br/cadernog/conteudo.phtml?id=1418067&tit=A-eternidade-dos-100-anos-de-Vinicius-de-Moraes
      http://tribunadonorte.com.br/noticia/a-bencao-vinicius/264218

      Excluir
    2. Sou um grande apreciador do VAT 69!!! Sem preco.

      Excluir
    3. Rodolpho Peixoto, o VAT 69 tem muitos apreciadores. Continue acompanhando o blog. Abraço.

      Excluir
  5. Hoje sou um admirador incondicional do VAT 69, antes dele, me esbaldava com Passport e Jhonnie Walker, não troco um bom VAT por nenhum deles hoje...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O VAT 69 tem a admiração de muitos, inclusive famosos. Um abraço e continue acompanhando os posts.

      Excluir
  6. Olá, tenho procurado muito esse whisky aqui no Rio de Janeiro e não encontro em lugar nenhum, só encontro online para comprar uma pena, queria muito experimentar ele. adoro seu blog, muito útil e eficaz nas informações.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Boa noite. Que pena, o VAT 69 geralmente é fácil de encontrar, geralmente no Extra, Pão de Açúcar e Wal-Mart. Espero que obtenha sucesso em sua busca. Continue acompanhando o blog. Um abraço.

      Excluir
  7. Caro Michel, no ano passado dei uma festa na minha casa. Havia vários apreciadores de whisky, então decidi abrir duas garrafas de whisky que eu tinha; uma era o VAT 69 e outra um Red Label. Pedi para alguns amigos provar os dois, sem identificar a marca. Para minha surpresa de 6 pessoas apenas uma preferiu o Red Label.
    Parabéns pela página!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Você realizou o que se chama de degustação às cegas. O VAT 69 realmente se sobressai quando confrontado com outros blends da mesma categoria, infelizmente o preconceito acaba por deixá-lo de lado. Parabéns pela experiência e continue acompanhando o blog. Um abraço.

      Excluir
  8. Acabei de comprar esse whisky hehehe sempre que compro uma garrafa de marca' diferente, vou atrás da historia. Leio enquanto degusto. Meu preferido era o Ballantines, mas depois de provar esse, tô com "dois corações". Pelo preço - paguei 55 - achei perfeito. Não sei avaliar whisky, mas esse tem uma leveza que dá prazer em tomar.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Simão Borges, somos parecidos. Gosto de saber a história por trás de cada garrafa. O intuito deste blog foi justamente este, tentar mostrar os bastidores da produção desta maravilhosa bebida. Que bom que gostou. Abraço.

      Excluir
  9. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  10. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  11. O vat 69 original é esta garrafa que você mostra ali encima?
    andei pesquisando sobre o Vat, e pra minha surpresa aqui no Brasil ela se encontra por menos de 100,00 pesquisei fora também e o Vat vai até uns 800,00 ou 1.000,00

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Amanda Barbosa. O VAT 69 já passou por várias remodelações em suas garrafas, sendo esta mostrada na foto, a última delas. O VAT 69, no geral é um whisky barato e estas garrafas que você viu, talvez sejam garrafas antigas que tenham algum valor para colecionadores. Estes preços foram surpresa para mim também. Um abraço.

      Excluir
  12. Ola muito boa a sua apresentação deste whisky, eu conheci a marca em duas situações, no Band of Brothers e no jogo Sniper, aonde vc ganha pontuação por atirar em garrafas de vat 69 durante as fases. E decidiu a compra da bebida para este feriado.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bom dia Lujan wagner. Obrigado pelas considerações. Há muitas referências ao whisky em vários filmes e séries, mas confesso que não conhecia essas referências em games. Legal. Continue acompanhando o blog. Um abraço.

      Excluir
  13. Na verdade a bebida Vat 69 foi a que abasteceu a 2 guerra mundial....todos os oficiais do alto escalão bebiam e tinhas em suas mochilas de guerra isso porque a mesma vinha da vizinha Escócia ao lado da Inglaterra e a a chegada dela até os campos de batalhas eram rápidas e com baixo custo em vez de trazer a Jack Daniels dos EUA que era o whisky popular na época da guerra....com o avanço das tropas aliadas dentro a França houve uma diminuição devido a custo e principalmente ao fato que mais que corpos que os aliados encontravam eram bebidas vinhos e whisky em toda normandia França Bélgica Holanda Áustria e outros....os alemães os alemães possuíam como costumes enormes adegas em suas bases e quartéis nos países dominados e mesmo quando parti em retirada preocupavam se também é preservar e retirar as bebidas que no fim acabavam capturados.... Mas mesmo assim a Vat 69 além de se manter na período de guerra se popularizou no pós guerra....mesmo depois da divisão da Alemanha a bebida continuou sendo importada....hoje quase toda baiuca restaurante bares existem a Vat 69

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. luis anderson, excelente aula de história. Espero que continue acompanhando o blog e, sempre que possível, enriquecendo o debate com seus comentários. Com a sua explicação me veio à mente um detalhe: parabenizar o roteirista da série Band of Brothers que, com certeza deve ter feito muita pesquisa e não deixou este detalhe passar em branco. Um abraço.

      Excluir
  14. eu ganhei um desse e gostaria de sabe se ele muito envelhecido continua bom,na garrafa está dizendo"consumido ate dez/1998" posso consumi ainda?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Boa noite. Se a garrafa estiver com uma boa vedação não há problema em consumi-lo. Achei curioso aparecer um prazo de validade. Geralmente o prazo de bebidas destiladas é indeterminado. Um abraço.

      Excluir

Dê sua opinião: