Whisky

Whisky

quarta-feira, 8 de julho de 2015

Desvendando Nº 25 - Teacher's Highland Cream

Recentemente meus colegas de blog e de degustação realizaram a degustação do Glendronach 15 anos e o descreveram como um whisky excepcional. Como não estava presente, não possuo o Glendronach e ele nem é vendido no Brasil, minha saída foi procurá-lo de outra maneira. E eis que o encontro num whisky que, nas prateleiras, é colocado ao lado dos whiskies brasileiros e, talvez por causa disso, passe uma imagem equivocada. Seu preço, pelo menos, concorre com eles. Trata-se do Teacher's Highland Cream, whisky genuinamente escocês que, por questão de importação e impostos, é engarrafado aqui no Brasil.


A história deste whisky começa com William Teacher, que nasceu em 1811, época difícil para os escoceses. As guerras napoleônicas (1803-1815) e o bloqueio de grãos imposto pelos franceses trouxeram escassez de comida. William começou a trabalhar com sua mãe num moinho de tecido, mas em 1830 estava trabalhando para a senhora McDonald, em sua mercearia em Glasgow, e se especializou em vinhos e destilados.

Ele se casou com a filha da senhora McDonald, Agnes, e após alguns anos eles abriram suas próprias lojas Teacher. Em 1856, a Teacher's abriu a primeira loja de varejo, que vendia não somente whisky a granel ou em garrafas para consumo fora das dependências, mas também whisky no copo, para consumo imediato. Essa foi a primeira de muitas inovações que William e seus descendentes trariam ao mundo do whisky.

William morreu em 1876, e seu obituário no jornal Scottish Standard afirmava: “O nome de Teacher é conhecido onde quer que seja, e é um nome de confiança na Escócia [...] seus esforços foram recompensados com o sucesso […] até a ocasião de sua morte, ele e seus filhos tinham mais lojas em Glasgow, acredita-se, que qualquer outra firma envolvida no comércio de whisky”.


A Teacher's começou a exportar em 1878, e o primeiro pedido foi feito pela John Reid & Co Ltd, da Nova Zelândia. Em 1884, a marca Teacher's Highland Cream foi registrada por Robert Hart. O primeiro sócio da empresa que não era da família.

Começando como “um item muito pequeno”, o Highland Cream dominou a firma de tal maneira que negócio e marca ficaram ligados.
Como aconteceu com muitas empresas escocesas independentes, a Teacher's teve bastante dificuldades para não ceder às ofertas do capital externo. Sob pressões prolongadas da II Guerra, impostos altos, necessidade de investimentos constantes e modernização, muitas famílias quebraram.

A Teacher's foi afortunada. Sobreviveu por conta própria até 1976, quando os proprietários negociaram um acordo com a Allied Brewers, ao invés de esperar uma inevitável aquisição hostil. Assim, a família manteve um papel importante, mesmo que a propriedade tenha passado para outras mãos.


A Allied Brewers evoluiu para Allied Lyons e depois para Allied Domecq. A Teacher's foi adquirida em 2005 pela Pernod Ricard e depois vendida, junto com a Laphroaig e outras marcas de vinhos e destilados para a Fortune Brands dos EUA por, segundo foi divulgado, 2,8 bilhões de Euros.

Desde os primeiros dias, o Teacher's sempre foi um blend de muito sabor, solidamente construído com os single malts de caráter marcante da empresa, provenientes de Glendronach e, mais particularmente, de Ardmore. Na verdade, mais de 35 whiskies entram na composição do Highland Cream, um whisky individualizado, com textura sedosa e final bem rápido que deixa um paladar refrescante.

Curiosidade: em 1913, a Teacher's lançou a campanha “aposente seu saca-rolhas”. William Manera Bergius, neto do fundador, tinha inventado uma tampa com uma saliência na parte superior que poderia ser retirada com uma simples torção.


O que pude perceber:
Aroma: suave, cereais, malte, um pouco defumado. Com um pouco de água, pronuncia o aroma defumado, fica mais suave e nota-se um cheiro de caramelo que antes não aparecia. Com gelo os aromas se fecham, eles estão lá, mas enfraquecidos.
Paladar: confirma no paladar os aromas sentidos. Sabor de cereais, de malte e também o defumado. Dá para sentir também um pouco de frutas secas e um pouco apimentado. Apesar de sentir uma leve dormência na boca, o álcool não é pronunciado. Com água o álcool desaparece e a dormência na boca também, ressaltando o sabor de cereais e também o floral. Com gelo fica ainda mais suave, porém dá ênfase no enfumaçado.

Whisky dourado claro, não encorpado e com adição de caramelo. E neste quesito, ponto para a Teacher's que informa isto no seu rótulo. Me surpreendeu. Esperava uma bebida mais forte, com uma pegada mais pesada. A suavidade dele é que me surpreendeu. Não dá para esperar muito de um blended nesta faixa de preço, mas este foge à regra, é um whisky honesto. O uso do gelo realçou um sabor que eu aprecio num whisky que é o defumado, mas o defumado no ponto certo, não muito. Eu passaria uma noite inteira fácil bebendo este whisky com gelo. Aliás, comprei esta versão de 250ml (R$ 15,00) para atender aos pedidos dos leitores que pediram um review do Teacher's e terminei com a garrafinha enquanto escrevia. Um dos melhores blends da categoria e por um preço muito bom. Aliás, acho que é o mais barato de todos.

Possuindo 45% de single malt em sua composição, é o blend com a maior proporção deste tipo de whisky. É o mais vendido do mercado brasileiro em todos os segmentos, com 22,4% de market share nacional. Possui forte presença no Nordeste, com 44,1% de participação do segmento.

Agora, está chegando ao mercado brasileiro em uma nova embalagem, com rótulo repaginado, cores mais quentes e detalhes em tons dourados. O logotipo e o brasão da marca ficaram mais modernos, com destaque para a destilaria de Ardmore, na Escócia.

Não é um Glendronach propriamente dito, mas é um whisky que eu gostei efetivamente e o coloco junto com o White Horse e o Dewar's White Label como blended standards excelentes.



Teacher's Highland Cream

Blend teor Alc 40%


Repleto de sabor, oleoso, com notas de calda e de caramelo no nariz, além de balas de leite e alcaçuz no palato. Textura uniforme, além de final bem rápido que refresca o palato.

34 comentários:

  1. Michel, muito boa a inciativa de realizar um post sobre o mais consumido Whisky no Brasil. Eu particularmente gosto muito dele por valor sentimental, pois foi meu primeiro Whisky e o mais duradouro em consumo.
    Gostaria que você nos explicasse qual a diferença entre este Teacher's Highland Cream e o Teacher's Clan que mais recentemente chegou ao nosso mercado.
    Abraços

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Gláubio, tudo bem? Primeiramente quero me desculpar pela demora em responder, mas o "blog" tirou umas férias, hehe. Realmente alguns whiskies são deixados de lado, a meu ver, injustamente, como é o caso do Teacher's. O Teacher's Clan chegou recentemente ao mercado brasileiro, mais especificamente no Nordeste, onde a marca é líder de mercado. A diferença é que ele é uma bebida mais encorpada e é duplamente maturado, primeiro em barris de carvalho tradicionais, de 200L, depois, em barris menores, de 120L, onde há maior contato entre a madeira e a bebida, fazendo com que o whisky absorva mais as características da madeira, com notas acentuadas de baunilha. Ainda não tive a oportunidade de degustá-lo. Um abraço.

      Excluir
    2. Parabéns pelo post, ótima explicação. Muito obrigada por compartilhar conosco!

      Excluir
    3. Parabéns pelo post, ótima explicação. Muito obrigada por compartilhar conosco!

      Excluir
    4. Muito obrigado Alisson Almeida. Continue acompanhando o blog. Um abraço.

      Excluir
  2. Olá Michel, ótimo texto como sempre, parabéns pelas analises e notas imparciais. Sempre gostei do Teacher's apesar de todo preconceito que ele sofre, muitas pessoas nem se atrevem a prova-lo e insistem em dizer que é um blend brasileiro. Sempre bom ver post sobre whiskys de supermercado.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Paulo, tudo bem? Primeiramente peço desculpas pela demora na resposta pois o "blog" estava de férias. Obrigado por acompanhar e gostar das postagens. Realmente alguns whiskies sofrem preconceito e alguns, injustamente, como é o caso do Teacher's. Aguarde que virão mais reviews deste tipo por aí. Um abraço.

      Excluir
  3. Fico muito contente por ter um apreciador do seu porte Michael se propondo a apreciar os produtos deste padrão. Acredito que isto aproxime o público do whisky.
    Parabéns mestre...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Heliton, tudo bem? Primeiramente quero me desculpar pela demora na resposta. Como disse nos comentários anteriores, o "blog" estava de férias. A intenção do blog é justamente esta, aproximar os apreciadores de whisky, no geral, sem preconceitos e abranger todos os tipos e variações de whisky, com todas as suas variações de idade e preço. Muitos whiskies são deixados de lado, a meu ver, injustamente, caso do Teacher's. Um abraço.

      Excluir
  4. Este comentário foi removido por um administrador do blog.

    ResponderExcluir
  5. Fico muito contente por ter um apreciador do seu porte Michael se propondo a apreciar os produtos deste padrão. Acredito que isto aproxime o público do whisky.
    Parabéns mestre...

    ResponderExcluir
  6. Michel, pelo que nos é informado, o Teacher Clan é importado já engarrafado, enquantoo Teacher Cream é importado a granel e aqui no Brasil é diluido e engarrafado. Pergunto se esta prática acentua as diferenças, visto que a água daqui certamente não é igual a da Escócia. De modo hipotético, se o Cream fosse importado já engarrafado ele seria melhor do ponto de vista de aromas e sabores?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Gláubio, a água usada para a redução não é a mesma usada nos outros processos de produção de whisky. É uma água desmineralizada, a mais pura possível, então, não produzirá diferença de sabor se a redução for feita na Escócia ou aqui no Brasil. Um abraço.

      Excluir
  7. Olá Michel, parabéns pela matéria! Vou dar uma dica aqui: vocês querem ver a surpresa dos seus amigos? Coloquem o Teacher's puro no copo ou na taça e deixem descansar por 10 min. Depois, sirvam e não digam qual whisky é. Esperem os seus amigos beberem e depois falem. A reação é sempre positiva, todos gostam!

    ResponderExcluir
  8. Já tomei o cream e o clan, achei bem melhor o clan, e também gostaria de esclarecer uma duvida, o cream sempre foi cortado no brasil? faço essa pergunta pois achei à algum tempo o sabor do teacher diferente.

    ResponderExcluir
  9. Boa noite. Até onde sei, sempre foi cortado no Brasil. Geralmente há uma variação entre um lote e outro sim, mas muito pouco. Quem está acostumado, porém, nota a diferença. Um abraço.

    ResponderExcluir
  10. Caro Michel, parabéns pelo blog! realmente o Teachers Clan é superior ao cream, ele é bem mais encorpado, defumado e doce, com nota de baunilha bem aparente, muito suave puro e mais ainda com gelo, pelo que pude perceber é como se fosse uma versão melhorada do cream, mesmo este não tendo 12 anos. Considero este uma excelente aquisição, a diferença entre os dois esta na média de 15 reais, mas vale a pena pagar um pouco mais pela qualidade do Clan.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Rafael Prado, obrigado por compartilhar sua experiência. Infelizmente ele ainda não chegou ao mercado brasileiro como um todo para que outros possam apreciá-lo. Um abraço.

      Excluir
  11. Olá Michel! Moro em Bauru SP e havia encontrado meses atrás o Teachers Clan em uma loja de conveniência por R$ 99, o vendedor me disse que haviam conseguido "contrabandear" uma caixa do Nordeste. Ontem tive uma surpresa ao ver na prateleira de um supermercado várias garrafas do Clan sendo vendidas a R$ 45!
    Se eles passaram a distribuí-lo nacionalmente será sem sombra de dúvidas o Scotch com melhor-custo benefício do mercado.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Concordo Nelson Alfredo. Em breve farei um review dele também. Já apareceu aqui onde moro ao preço de R$ 65,00. Um abraço.

      Excluir
  12. Saberia me informar o ano que a Teacher's chegou no Brasil? Tenho uma edição comemorativa de 20 anos e gostaria de saber a data precisa. Agradeço a atenção.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Mauricio Vollu, segundo as informações que eu tenho, o whisky Teacher's começou a ser engarrafado no Brasil no ano de 1975 quando ainda era parte do portfólio da Seagram's. Um abraço.

      Excluir
  13. Primeiramente, quero parabenizar pelo site, ótimo.
    Agora com a dúvida, na faixa de preço daqui da minha cidade, Teacher´s, Bells e Passport, qual dos 3, em relação x benefício, sabor, menor aparência de álcool, é melhor?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Leandro Pessoa de Almeida, para mim, Teacher's, Passport e Bell's, nesta ordem. Um abraço.

      Excluir
  14. Michel eu acabei decepcionado com o teacher's, vou dizer o por que. Há algums anos atras eu experimentei esse whisky e ele realmente ele era um ótimo whisky pelo seu custo. ele pelo que me lembro tinha um gostinho de malte e ele era saboroso.adquiri a alguns dias uma garrafa já com o novo rótulo... e vou dizer que decaiu a um ponto que eu prefiro tomar gran par do que ele. só tem gosto de whisky de grãos e alcool,eu achei muito amargo no final mas um amargo ruim mesmo, vi num video que a teacher's foi adquirida pela beam suntory, e que depois disso a pequena qualidade que ele ainda possuia foi pro ralo. hoje eu não recomendo esse whisky. o video é do canal whisky brasil,eu particulamente não gosto desse canal pela forma preconceituosa que é exposto os whiskys estandart e a quem adquiri os mesmos,mas as vezes ele acerta passando alguma informação que até então era desconhecida.

    ResponderExcluir
  15. cleverson augusto de almeida, realmente às vezes as empresas não dão a devida atenção a um produto que tem os seus seguidores. Já ouvi vários relatos deste tipo, sobre a mudança nos sabores dos whiskies, o que não era para acontecer. Invariavelmente estamos a mercê de vários interesses por parte das empresas que visam o lucro e, infelizmente para nós, a qualquer custo, mesmo que baixando a qualidade dos produtos. Faz algum tempo já que não experimento o Teacher's. Tentarei adquirir uma garrafa para conferir pessoalmente. O Gran Parr nunca experimentei. Você poderia tecer mais comentários a respeito dele? Fico no aguardo. Um abraço e continue acompanhando.

    ResponderExcluir
  16. de forma simples vou dizer que o gran par é um whisky elaborado com malte whisky e destilados nacionais envelhecidos fabricado pela jamel/missiato. se enquadra junto com o drurys e o old eigth e outros. se for para comprar um produtos mais em conta ele se sobressai. o que eu senti quando tomei ele:evidencia de alcool, grãos e um vaga lembrança de malte é só.não sei como a marca se sai aqui no brasil, mas ela pe muito vendida no Chile e Colômbia. não se confundir com o old gran parr que é escoces ( o da garrafinha gordinha). o nome confunde bastante.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado pela contribuição. O Gran Parr foi lançado com bastante marketing e promoções, inclusive se aproveitando do nome parecido com o seu primo escocês, hehe. Mas não tinha ainda informações de sabores. Valeu.

      Excluir
  17. Não gostei desse Whisky achei o fundo um pouco amargo e pelos comentários não fui a única pessoa.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Artemfotografia, o whisky vai muito do gosto pessoal e do dia que você bebe. Há dias que simplesmente não desce. Quando fiz a análise para o texto do blog, achei muito bom. Hoje já não consigo repetir a dose. O paladar também muda com o tempo. O jeito é ir experimentando até achar o nosso favorito. Um abraço.

      Excluir
  18. Olá Tomo Techer´s ha muitos anos por volta de 25 anos, e continua sempre um whisky de excelente
    qualidade e preço convidativo. Abços.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. beto brand, 25 anos é muito tempo. Dá para ter uma opinião mais do que formada sobre o whisky. Obrigado por compartilhar. Continue acompanhando. Um abraço.

      Excluir

Dê sua opinião: