Whisky

Whisky

domingo, 27 de dezembro de 2015

Whisky e comida

Nesta época do ano, em que comida e bebida invadem nossas casas, invariavelmente nos perguntamos o que combina com o que. A escolha da bebida é tão importante quanto o cardápio, para qualquer evento. E como o blog é sobre whisky, iremos tratar dele.


Pode até não parecer, mas o whisky, para aqueles que o apreciam, combina com quase todos os alimentos e serve para comemorar tudo, ou quase tudo. Ele combina perfeitamente, seja em recepções, happy hour, encontro de negócios, com alimentos que vão de aperitivos, salgadinhos, canapés, até alimentos condimentados e aromáticos. O que vai bem com quase todos os tipos de whiskies, são chocolates, queijos suaves (queijos cremosos e suaves, como Brie e Camembert, podem ser servidos tanto com Blendeds quanto com Single Malts), castanhas, peixes (salmão e atum) e frutos do mar (camarões e lagostas).

Whisky Blended: pode ser servido puro, com gelo ou gelo e água, em copo curto ou longo. Combina com comidas leves, frutos do mar, sushi, queijos suaves e saladas. Podem também ser utilizados para o preparo de coquetéis. A exceção aqui é feita aos Blendeds mais envelhecidos, que combinam com comidas mais encorpadas como presuntos crus, carnes de porco e queijos tipo cheddar.


Whisky Bourbon: combinam com aperitivos e pratos mais leves, como frutos do mar e saladas. Devido ao seu sabor adocicado, também podem acompanhar sobremesas.

Whisky Single Malt: aconselhado ser  tomado sem gelo em copos pequenos. Combinam com queijos fortes e encorpados, como roquefort e provolone, saladas, comidas condimentadas e apimentadas como asiáticas ou indianas, frutos do mar, peixes defumados, sobremesas e chocolate.


É claro que em matéria de harmonização, cada um pode encontrar a sua combinação preferida, só não podemos esquecer de beber muita água e não dirigir após tudo isso.

A página Desvendando Whisky deseja a todos os leitores um Novo Ano repleto de realizações, paz, saúde e felicidades. Que possamos continuar a busca pelo conhecimento neste vasto mundo do whisky, com novos artigos, novas notícias, novas degustações e reviews. Abraço a todos e até 2016.

sábado, 26 de dezembro de 2015

Destilaria Tomintoul lança The Five Decades


A Destilaria Tomintoul acaba de anunciar o lançamento de um produto muito especial e único, The Five Decades, para comemorar o 50º aniversário da destilaria, que começou a destilar em 1965. Barris individuais foram escolhidos para representar os sabores de 50 anos de artesanato na destilaria. 

O Master Distiller Robert Fleming selecionou pessoalmente os cascos que continham whiskies embarrilados a partir de 1965, 1975, 1985, 1995 e 2005 e supervisionou o casamento desses whiskies de malte soberbos.

Segundo a destilaria, foi um projeto fascinante, onde foram escolhidos barris que representavam características de sabor únicos a partir das cinco décadas e, além disso, após o casamento, eles produziram um produto de grande distinção.

Os whiskies do The Five Decades (1965-2005)

1965 - whisky raro e especial desde o primeiro ano de destilação. Este whisky era notável por seu nariz suave e doce com notas de casca de laranja, bolo de frutas, cerejas cristalizadas e uma sugestão de tempero misturado com pétalas de rosa.

1975 - um verão excepcional que produziu whiskies excepcionais em Tomintoul. Os cascos escolhidos a dedo deste notável ano transpirava grande maturidade com quantidades generosas de especiarias e baunilha no nariz e com características florais perceptíveis no palato.

1985 - este ano representou fielmente a década de 1980. Invernos frios e verões temperados eram ideais para o amadurecimento do whisky de malte. Os cascos selecionados foram típicos do estilo Tomintoul: leve, mas com muita doçura.

1995 - para marcar esta década e adicionar sabores ricos e interessantes, de primeira qualidade, barris de Sherry foram cuidadosamente escolhidos. O whisky que tinha desfrutado de vinte anos de maturação em barris usados anteriormente para amadurecer Sherry no sul da Espanha contribuiu com passas, ameixa, ameixa seca, raspas de laranja e figueiras no nariz, com avelã, nozes, ervas e suaves notas de sherry no palato.

2005 - neste ano, o spirit recém-destilado foi colocado nos melhores barris virgens de carvalho branco americano para amadurecer sem pressa durante os próximos dez anos. Este whisky transmitiu baunilha, mel e sabores de coco apoiados por um acabamento de especiarias.
5230 garrafas foram numeradas individualmente e liberadas para comemorar o 50º aniversário da Destilaria Tomintoul.
Tomintoul Five Decades - Notas de Prova
Cor: ouro
Nariz: perfumes clássicos de Speyside misturados com notas de casca de banana e maçã apimentada.
Paladar: limpo, cremoso, cevada maltada e alguma doçura de toffee. Suave tempero amadeirado.
Finish: doçura perseverante seguido por um final de noz-moscada.

Tomintoul Five Decades já está disponível, engarrafado em cascos de 70cl com 50% ABV, não filtrado a frio e com coloração natural.


Fonte: whiskyintelligence.com


quarta-feira, 23 de dezembro de 2015

John Dewar & Sons revela sua mais recente expressão: Aberfeldy 16 anos


Aberfeldy 16 anos é totalmente concluído em tonéis de xerez Oloroso premium, permitindo um suntuoso e mais acentuado sherry para o malte, dando uma sugestão de frutas secas e notas de especiarias que somente os mais finos barris de qualidade contribuem.

Construída pela família Dewar em 1898, a destilaria é uma das poucas remanescentes em Perthshire. O estilo da casa é rico, mas suave e acessível, com uma ênfase em notas de mel. O tempo de fermentação longo de 70 horas permite um maior desenvolvimento do sabor. Uma fermentação prolongada incentiva a criação de mais ésteres que por sua vez dão o sabor frutado ao whisky.

Conhecido como The Golden Dram, a fonte preciosa de água de Aberfeldy, o Pitilie Burn, é cheio de histórias no folclore local e as suas qualidades têm sido muito procuradas. Pitilie Burn é conhecido por ser rico em depósitos minerais, incluindo ouro de aluvião.

Notas:
Aberfeldy 16 anos, 40% ABV
Aroma: alquimia rara, exalando mel, frutas cítricas e cravo picante.
Paladar: sherry e bolo de frutas, em seguida pinceladas de chocolate escuro. Um elixir calmante.

O recém-lançado aberfeldy 16 anos, engarrafado em 40% ABV, junta-se ao portfólio existente de single malts. É descrito como viscoso e doce, cheio de notas amanteigadas e de frutas frescas. Ao preço de £ 62,00, a nova expressão está disponível em 11 mercados em todo o mundo.


Fonte: whiskyintelligence.com

domingo, 20 de dezembro de 2015

Ardmore lança The Ardmore Port Wood Finish

Ardmore Single Malt Scotch Whisky, distribuído pela Maxxium do Reino Unido, acaba de lançar Ardmore Port Wood Finish.


A nova expressão é destilada com os mesmos métodos tradicionais utilizados na destilaria desde 1898, antes de ser amadurecida por 12 anos em barris tradicionais de carvalho branco americano ex-bourbon e, em seguida, finalizada em cascos europeus que continham vinho do porto.

O lançamento do Ardmore Port Wood segue o sucesso do Ardmore Legacy, que substituiu o Ardmore Traditional Cask como expressão essencial da destilaria. O levemente turfado e doce Ardmore Legacy oferece a introdução ideal para single malts turfados.

O mais novo membro desta carteira emergente, o Ardmore Port Wood, é uma expressão única, com um toque de doçura. Rubi dourado na cor, esse single malt é cheio de frutas temperadas com um acabamento esfumaçado sutil. Ele vem para aumentar ainda mais a qualidade e o sabor do portfólio da marca.

Ardmore Port Wood é um excelente whisky feito usando os mesmos métodos de destilação tradicionais há mais de 100 anos. É uma expressão única e premium, com notas de maçã vermelha adoçadas com mel, toque sutil de fumaça de carvão vegetal e um longo e demorado acabamento suave, culminando com a marca registrada de Ardmore, a secura. É um whisky que oferece um sabor que o diferencia.

Ardmore Port Wood é engarrafado em 46% ABV, não filtrado a frio e está disponível nas lojas especializadas de whisky a um preço aproximado de £ 49,99.

Notas:
Cor: rubi dourado.
Nariz: inicia com morangos e frutas de verão com uma pitada de pimenta. Notas de laranja queimada e canela. Com água, os ricos aromas de frutas de maçã vermelha e cranberry intensificam-se, acompanhado de mel e notas de madeira com especiarias sutis.
Paladar: maçã vermelha adoçada com mel e o toque sutil de fumaça de carvão vegetal.
Acabamento: inicialmente suave com um final longo e persistente, culminando com a marca seca de Ardmore.


Fonte: whiskyintelligence.com

quinta-feira, 17 de dezembro de 2015

Exclusivo para viajantes, Ballantine's lança Signature Oak Edition - European Oak, de 21 anos


Ballantine's, o whisky escocês No.2 do mundo, acaba de lançar uma expressão de 21 anos Signature Oak Edition, maturado em carvalho europeu, exclusivamente para as lojas de varejo de viagem. Uma outra expressão adicional Signature, criada com carvalho americano, seguirá para completar o par especial de engarrafamentos, tornando as duas garrafas itens de colecionador para os entusiastas de whisky.

O Signature Oak Edition, carvalho europeu, foi habilmente trabalhado pelo Master Blender da Ballantine's Sandy Hyslop e apresenta as características e sabores que o carvalho europeu contribui para a mistura.

Foi assegurado que esta nova expressão permanecesse fiel ao perfil de sabor premiado do Ballantine's 21 anos, com whiskies selecionados envelhecidos em cascos de xerez de qualidade. Maior do que os cascos de carvalho americano, os cascos europeus ajudam a proporcionar um sabor único devido ao seu efeito sobre o processo de envelhecimento.


Sandy Hyslop comentou que cheirou cada barril para assegurar um equilíbrio entre o líquido e a madeira, algo que George Ballantine, pioneiro na arte de maturação em barris de qualidade, teria aprovado. Com o 21 anos Signature Oak Edition, Ballantine's presta uma homenagem ao seu fundador e demonstra para os consumidores como a maturação em barril e a influência do carvalho transforma o whisky. Fornecendo um rico perfil de sabor, o carvalho europeu tem reforçado as notas de passas, bolo de frutas, xerez e especiarias.

As edições Signature Oak irão envolver os consumidores em uma interessante viagem através de diferentes tipos de maturação em barril além de destacar diferentes elementos que os consumidores poderão se relacionar. European Oak irá se concentrar na cor, sabor e cheiro para mostrar como os cascos de carvalho europeus produzem um efeito muito específico em maltes selecionados, reforçando a qualidade e a personalidade do whisky.


Os consumidores que compram através das lojas de varejo de viagem estão procurando inovação e singularidade para além do que eles podem comprar nos mercados domésticos. Para atender a esta demanda, o Ballantine's 21 anos Signature Oak (European Oak), engarrafado a 40% ABV, estará disponível para compra a um preço recomendado de US$ 225.


Fonte: whiskyintelligence.com

quarta-feira, 16 de dezembro de 2015

Ballantine's Hard Fired

Ballantine's, whisky escocês No.1 da Europa e No.2 do mundo, lançou o Ballantine's Hard Fired, uma expressão inovadora que introduz um processo sob medida na produção de whisky escocês e proporciona uma experiência única dentro da família Ballantine's. Ballantine's Hard Fired está definido para apelar aos apreciadores de whisky que buscam autenticidade e artesanato em novos estilos de Scotch.


O perfil de sabor de Hard Fired foi desenvolvido através do poder transformador do fogo. A assinatura do Hard Fired provém dos barris, que abre notas de baunilha, notas de fumo e especiarias e proporciona uma suavidade distintiva, resultando em um whisky com personalidade e exclusivamente equilibrado.

O processo começa com a seleção individual das barricas de carvalho americano pela equipe de gerenciamento de madeira. Os barris são então enviados para artesãos altamente qualificados na tanoaria para chamuscá-los pela segunda vez, um processo conhecido como “hard firing”. Finalmente, o Master Blender de Ballantines's Sandy Hyslop cheira cada barril e seleciona somente os melhores para ser preenchido com um blended único para descansar.

Ballantine's Hard Fired apresenta os resultados naturais e únicos que o carvalho americano e o fogo podem produzir sobre o whisky escocês. Quando carbonizado, o barril forma uma camada natural de açúcares caramelizados na madeira que reagem com o whisky e uma dupla queima intensifica compreensivelmente este efeito. O resultado é um whisky escocês suave, cremoso e sutilmente esfumaçado, com notas de degustação de mel doce, maçãs vermelhas macias e alcaçuz picante. Este resultado equilibrado é o perfil de sabor de um whisky premium e fica bem dentro do estilo da família Ballantine's, ao mesmo tempo que oferece algo novo.


Ballantine's Hard Fired é uma progressão natural para a marca à medida que continua a inovar dentro da categoria de whisky escocês. A dupla carbonização naturalmente desbloqueia sabor, criando um whisky que permanece fiel a filosofia de artesanato, autenticidade e sabor excepcional. Hard Fired é uma expressão moderna, que responde às tendências atuais do mercado de whisky que exigem novas experiências.

O whisky possui um ABV de 40% e estará disponível globalmente a partir de março de 2016. O preço ainda não está definido, mas irá variar dependendo do mercado. A campanha global captura a influência do fogo sobre o processo de produção e foi desenvolvida sob medida juntamente com a nova assinatura, para apoiar o lançamento internacional.

Notas de prova:
Nariz: frutos maduros doces, peras e groselhas, baunilha, caramelo, toffee e um fio suave de fumaça.
Paladar: mel, maçãs vermelhas macias, uma pitada de alcaçuz picante e fumo suave.
Acabamento: longo, baunilha. É ao mesmo tempo doce e levemente picante.


Fonte: whiskyintelligence.com


domingo, 13 de dezembro de 2015

Desvendando Nº 33: Blairmhor 8 Anos


Blairmhor é um blended malt produzido pela Inver House Distillers composto por cerca de 20 single malts, a maioria de Highland e Speyside e todos envelhecidos por no mínimo 8 anos, o que deixa uma bebida suave e sedosa, sendo uma ótima introdução aos blended malts.

Blended malt é uma mistura de single malts que foram destilados em mais de uma destilaria. Ele difere do blended whisky por conter somente cevada maltada em sua composição, sem nenhuma adição de qualquer outro tipo de grão.

O que pude perceber:
Aspecto: cor dourado claro, pouco corpo. Com uma pedra de gelo, sua cor é realçada, ficando com um dourado forte, cor de ouro.
Aroma: malte, um pouco de álcool que não chega a incomodar, carvalho e baunilha. Suave. Com um pouco de água, realça a cevada maltada, mel e as notas florais. Com uma pedra de gelo o aroma fica ainda mais suave, floral, com um fundo de carvalho e uma nota sutil de fumaça.
Paladar: começa suave, com sabor de cereais, floral. Depois vem o álcool, não muito forte, leve dormência na boca, depois finaliza com carvalho e baunilha. Também sente-se no final o floral junto com o malte. Com água, nota-se carvalho, caramelo, malte e, desta vez, o álcool fica bem suavizado. Com gelo, malte e baunilha se sobressaem, além de uma pontinha esfumaçada que aparece. Fica bem suave. A finalização fica bem curta, com gosto de cereais.


Whisky leve, saboroso e despretensioso. Não tem a ambição de possuir um caráter que se sobressaia. É bem equilibrado em sua mistura. É agradável, ótimo para ser degustado sem muita expectativa, sem muita pretensão. Um whisky para relaxar, sem preocupação com notas. Ele irá fazer sua parte sem deixar a peteca cair.

É um whisky pouco conhecido e até mesmo por isso, difícil de encontrar literatura e informações a respeito. Não é encontrado no Brasil. Comprei o meu num freeshop do Uruguai ao preço de US$ 21,50. Um ótimo whisky para o dia a dia, além de ser um legítimo 8 anos.

O curioso foi que deixei o copo de um dia para outro no congelador, de modo que se formou um gelo de whisky. Após completar com um pouco mais do whisky, o que apareceu foi um leve caráter defumado, o que deixou a bebida um pouco mais interessante. A diferença foi marcante. Eu não iria experimentá-lo com gelo, fazia frio, mas como na noite anterior havia servido uma dose generosa e, para não ir fora, congelei, o resultado foi até agradável. Ficou bem mais interessante ao paladar. Desta forma, recomendo apreciá-lo com uma pedra de gelo para aqueles que gostam levemente defumado, ou puro, para quem aprecia um caráte floral. Vai do gosto do apreciador.





Blairmhor 8 Anos

Blended Malt Teor Alc: 40% ABV


Rico, maltado e encorpado. Delicado equilíbrio de malte macio. O nariz é rico e complexo, com notas de frutas secas e cevada maltada. O paladar é bastante completo e bem equilibrado. Há notas de especiarias com cevada e mel. O final é longo e maltado, com carvalho e mel.

sexta-feira, 11 de dezembro de 2015

Glenlivet apresenta versão influenciada pela turfa para a inovadora gama NÀDURRA

A destilaria Glenlivet lançou uma terceira expressão para a sua gama Nàdurra, honrando as tradições históricas de fabricação de whisky single malt através de um inovador acabamento em barril. O Glenlivet Nàdurra Peated Whisky Cask Finish é a primeira versão a ter um perfil de sabor esfumaçado sutil, tendo sido concluído em cascos de carvalho americano que já havia maturado whisky escocês fortemente turfado.


Engarrafado na força do barril em 61,5% ABV, The Glenlivet Nàdurra Peated Whisky Cask Finish é inspirado nos processos de produção autênticos usados na destilaria por seu fundador, George Smith, que originalmente usava fumaça de turfa para secar a cevada maltada. Com um acabamento em cascos turfados, o clássico estilo suave e frutado da casa que fez a sua fama, foi enriquecido com suaves notas aromáticas de fumo, para oferecer uma nova experiência para os entusiastas do whisky Glenlivet. A expressão também estará disponível no mercado global em 48% ABV.

Os artesãos da Glenlivet cheiram individualmente cada barril para garantir o equilíbrio perfeito entre frutas e fumaça no whisky, engarrafado em pequenos lotes sem filtragem a frio para oferecer a complexidade de corpo inteiro e textura distintamente cremosa de um whisky que acaba de ser retirado do barril.

O interesse entre os fãs de whiskies para novos, originais e bem-feitos Scotch tem continuado a crescer nos últimos anos, e a Glenlivet quer definir um valor de referência para qualidade e inovação. A gama Glenlivet Nàdurra tem desfrutado de um número cada vez maior de seguidores, devido à sua história de compromisso com os métodos de produção tradicionais do século 19. Com o lançamento do Glenlivet Nàdurra Peated Whisky Cask Finish espera-se inspirar cada vez mais os bebedores exigentes.

O Glenlivet Nàdurra Peated Whisky Cask Finish é apresentado em embalagem atualizada, que enfatiza a natureza artesanal. O projeto inclui um número de lote em destaque, selos imitando barril e uma tradução mais visível da palavra gaélica, Nàdurra - significando natural - para ilustrar a essência da marca.


NOTAS
Glenlivet Nàdurra Peated Whisky Cask Finish (61,5% ABV):
Cor: âmbar ouro
Nariz: uma explosão de maçãs vermelhas macias, cítrico e fumaça aromática.
Paladar: rico, marmelada picante, cremoso, toffee de baunilha e um esfumaçado distinto.
Final : complexo, demorado e picante, com camadas sutis de fumaça.

Glenlivet Nàdurra Peated Whisky Cask Finish (48% ABV):
Cor: âmbar ouro
Nariz: um equilíbrio perfeito de um fresco e maduro pomar de frutas, creme de baunilha doce e delicada fumaça de madeira.
Paladar: notas de mel e baunilha, com uma fumaça doce e picante.
Final: longo e bem desenvolvido, com notas vibrantes de frutas frescas e fumaça picante.


Disponível em nove mercados domésticos, incluindo EUA e França, e mercados de varejo de viagem ao preço de US$ 89.


Fonte: whiskyintelligence.com

terça-feira, 8 de dezembro de 2015

Em colaboração com micro-cervejaria, Jameson lança Caskmates

Jameson anunciou o lançamento mundial do Jameson Caskmates após uma tiragem limitada de sucesso na Irlanda no ano passado. Criado pela destilaria Midleton em colaboração com a micro-cervejaria Franciscan Well Brewery, em Cork, Jameson Caskmates oferece uma nova experiência de sabor que irá satisfazer o apetite dos entusiastas de whisky, bebedores de Jameson e apreciadores de cerveja artesanal.


A história do Jameson Caskmates começou em 2013 quando os mestres destiladores da Jameson, Brian Nation e Dave Quinn, conheceram o fundador da Franciscan Well Brewery, Shane Long, em um bar de Cork. Os mestres concordaram em emprestar alguns barris de Jameson para a cervejaria e descobrir a sua influência sobre a cerveja irlandesa e quando os barris temperados foram devolvidos à destilaria Midleton, foram preenchidos com Jameson Irish Whiskey. Com o tempo, a maturação resultou em uma nova sensação de gosto: Jameson Caskmates.

O produto da curiosidade, colaboração e inovação, Jameson Caskmates, mantém a suavidade da tripla destilação do Jameson Original, mas adota notas adicionais de café, cacau, caramelo e toques suaves de lúpulo.

O lançamento foi programado para tocar o consumidor existente para o artesanato de cerveja e whisky, fundindo as duas categorias e mostrando uma versatilidade excepcional. O whiskey pode ser servido puro, com gelo, como um parceiro para a cerveja ou mesmo em coquetéis de cerveja.

Com a finalização por seis meses em barris que continham cerveja, a Jameson quer proporcionar uma nova experiência de whisky bem como recrutar os fãs de cerveja artesanal a nível mundial para a categoria do whiskey irlandês.

Notas de degustação:
Jameson Caskmates 40% ABV
Nariz: o aroma inicial de feno recém-cortado é complementado por um nítido caráter de pomar de frutas, maçãs verdes e pêras, juntamente com um toque de raspas de limão. Um toque leve de especiarias aparece, chá verde, avelã e chocolate ao leite.
Sabor: como esperado, há um revestimento doce inicial na boca, típico do whiskey irlandês. Então o efeito do acabamento do barril de cerveja torna-se aparente com o toque sutil de lúpulo e grãos de cacau. Um toque de marzipan e carvalho carbonizado aumentam a complexidade.
Acabamento: longo e doce com chocolate ao leite e caramelo.

Engarrafado em 40% ABV, Jameson Caskmates está disponível em oito mercados, incluindo os EUA, África do Sul e Irlanda, ao preço de $ 29,99.


Fonte: whiskyintelligence.com

segunda-feira, 7 de dezembro de 2015

1º Encontro do Clube do Whisky

Sábado passado, 05 de dezembro, ocorreu em São Paulo o primeiro encontro do Clube do Whisky, reunião de apaixonados pela bebida e que tem a rede social Facebook como plataforma de notícias.


O grupo tem como objetivo a divulgação do whisky e a troca de informação e experiência entre os participantes. Apesar de novo, já conta com mais de 500 integrantes espalhados por todo o país, o que propiciou a realização do evento. Para este primeiro encontro, a cidade escolhida foi São Paulo mas outros eventos em outras localidades já estão sendo estudados pelo grupo.

Na confraternização, realizada no restaurante árabe Sainte Marie, houve a oportunidade para conhecer os amigos que conhecíamos até então somente através da rede social. E como não poderia ser diferente, oportunidade também para degustar belíssimos exemplares de whisky, entre blendeds e single malts, provar uma ótima comida, além de desfrutar de um ambiente agradável e familiar.

Alguns dos whiskies degustados

Na ocasião, foram degustados os seguintes whiskies: Islay Mist Peated Reserve, Islay Mist 8 Anos, Johnnie Walker Double Black, Johnnie Walker Gold Label Reserve, Laphroaig Select, Teacher's Clan, Glenfarclas 105 Cask Strength, Glenmorangie Nectar D'Or 12 Anos, Glenfiddich 12 Anos, Glenfiddich 15 Anos, Black Bottle, Glen Grant, Highland Park 12, Moonshine Midnight Moon Apple Pie e Grant's Voyager. Havia whiskies de diversos tipos para todos os gostos.

Top four

O evento, além de ter sido um sucesso, foi prestigiado pelo ilustre Carlos Zibel Costa, grande conhecedor e colecionador de whiskies, Renato Cavaletti, representando a loja virtual de venda de whiskies Whisky e Cia (www.whiskyecia.com.br), Michel Ivan Texier Verdugo, Somellier chileno, Alexandre Tito, conhecedor e colecionador de whiskies e charutos, Wesley Santos Lobo e Mauricio Walder, que foram os organizadores e pensaram em todos os detalhes.

Quem tiver interesse em conhecer e participar do grupo, o endereço no Facebook é Clube do Whisky (https://www.facebook.com/groups/1697086430526201/?fref=ts).


Novos eventos com certeza surgirão e espera-se, cada vez com a adesão de mais pessoas. Parabéns a todos os envolvidos e até a próxima.

quarta-feira, 2 de dezembro de 2015

Midleton Dair Ghaelach - Irish Virgin Oak

Conheça o terceiro melhor whisky do ano na Bíblia do Whisky 2016 de Jim Murray.

Dair Ghaelach (carvalho irlandês) é um blend de whiskeys com idades entre 15 e 22 anos maturados em cascos ex-bourbon de segundo uso e finalizado por um período de 10 meses em carvalho virgem irlandês. A destilaria Midleton começou a experimentar o carvalho irlandês há vários anos e ficou encantada com o resultado. A próxima etapa é tentar envelhecer o whiskey inteiramente em madeira de carvalho irlandês.


MIDLETON DAIR GHAELACH, 58,2%

Nariz: muito rico, com aromas de passas e crème brûlée. Tabaco e couro também aparecem juntamente com frutas e mel.
Paladar: bom peso, com generosas porções de frutas secos, canela e noz-moscada. Sabores mais evoluídos de couro aparecem, seguido por frutas verdes, caramelo e baunilha. Cheio de sabor e complexo.
Final: bom nível de especiarias, pimenta, canela, com um toque de frutas.
Comentário: há muita coisa acontecendo com este whiskey, mas cada elemento encontra o seu próprio lugar. O apimentado do carvalho realmente brilha, mas não tanto. Um belo exemplo do whiskey irlandês, com as notas clássicas de fruta tropical, maçã verde e especiarias.

O primeiro lote do Midleton Dair Ghaelach está limitado a 12.000 garrafas e está disponível a partir de £ 166.


Fonte: thewhiskyexchange.com

terça-feira, 1 de dezembro de 2015

Bíblia do Whisky 2016: os vencedores

A cada ano são esperados os grandes vencedores na Bíblia do Whisky de Jim Murray. No ano passado, Jim escolheu o Yamazaki Sherry Cask 2013 como Whisky do Ano. Teve um efeito surpreendente sobre a demanda por esta garrafa e impulsionou fortunas para todas as categorias do whisky japonês da noite para o dia.


O vencedor deste ano, pela primeira vez, é do Canadá: Crown Royal Northern Harvest Rye. Jim atribuiu 97.5pts/100 e comentou: "o centeio, o mais eloquente dos grãos, não apenas transformou-se para encantar e fascinar, mas também para nos levar através de uma jornada que atinge um novo patamar de beleza e complexidade. Dizer que esta é uma obra-prima é apenas fazer justiça."


CROWN ROYAL NORTHERN HARVEST RYE, 45%

Notas de Degustação:
Nariz: especiarias, cereais e carvalho.
Paladar: suave nota de carvalho, caramelo rico, baunilha temperada, desenvolvendo notas macias e apimentadas.
Final: suave e cremoso.

Jim aumentou o número de whiskies premiados para cinco, em oposição ao que vinha sendo feito, a escolha normal de três, acompanhado por sua escolha de Single Cask do ano. Aqui estão os vencedores:


JIM MURRAY’S 2016 WORLD WHISKIES OF THE YEAR

1. Crown Royal Northern Harvest Rye
2. Pikesville Straight Rye
3. Midleton Dair Ghaelach
4. William Larue Weller Bourbon (Bot.2014)
5. Suntory Yamazaki Mizunara (Bot.2014)


SINGLE CASK OF THE YEAR

Glenfarclas The Family Casks 1957 # 2110
Este ano, tal como no ano passado, não há whiskies escoceses na lista de Jim. E com o Midleton Dair Ghaelach, é a primeira vez que um whiskey irlandês termina entre os três primeiros.


OS VENCEDORES:

SCOTCH

Scotch Whisky of the Year
Glenfarclas 1957 Family Casks #2110
Single Malt of the Year (Multiple Casks)
Glen Grant 10yo
Single Malt of the Year (Single Cask)
Glenfarclas 1957 Family Casks #2110
Scotch Blend of the Year
The Last Drop 50yo
Scotch Grain of the Year
Clan Denny Cambus 1987 25yo #9320
Scotch Vatted Malt of the Year
Compass Box The Lost Blend


SINGLE MALT SCOTCH

No Age Statement (Multiple Casks)
Ardbeg Supernova 2009
No Age Statement (Runner Up)
Laphroaig An Cuan Mor
10 Years & Under (Multiple Casks)
Glen Grant 10yo
10 Years & Under (Single Cask)
Saar Gruwehewwel
11-15 Years (Multiple Casks)
Gordon and MacPhail Connoisseurs Choice Strathmill 2000
11-15 Years (Single Cask)
SMWS 4.199 (Highland Park 1999)
16-21 Years (Multiple Casks)
Old Pulteney 21yo
16-21 Years (Single Cask)
Old Malt Cask Highland Park 1998
22-27 Years (Multiple Casks)
Glen Moray Port Cask Finish
22-27 Years (Single Cask)
Wemyss Kirsch Gateau (Bunnahabhain)
28-34 Years (Multiple Casks)
Tomatin 1988 25yo Batch 2
28-34 Years (Single Cask)
Glenfarclas 1985 Family Casks #2593
35-40 Years (Multiple Casks)
Tomatin 36yo Rare Casks Batch 1
35-40 Years (Single Cask)
BenRiach 1977 Batch 11
41 Years & Over (Multiple Casks)
Ledaig 42 Years Old
41 Years & Over (Single Cask)
Glenfarclas 1957 Family Casks #2110


BLENDED SCOTCH

No Age Statement (Standard)
Ballantine’s Finest
No Age Statement (Premium)
Ballantine’s Limited
5-12 Years
Johnie Walker Black Label
13-18 Years
Ballantine’s 17
19 – 25 Years
Royal Salute 21
26 – 50 Years
The Last Drop 50 Years Old Sherry Wood


IRISH WHISKEY

Irish Whiskey of the Year
Midleton Dair Ghaelach
Irish Pot Still Whiskey of the Year
Midleton Dair Ghaelach
Irish Single Malt of the Year
SMWS 118.3
Irish Blend of the Year
Powers Gold Label


AMERICAN WHISKEY

Bourbon of the Year
William Larue Weller 2014
Rye of the Year
Pikesville Rye 110 Proof
US Micro Whisky of the Year
Notch 12
US Micro Whisky of the Year (Runner Up)
McCarthy’s Batch U14-01


BOURBON

No Age Statement (Multiple Barrels)
William Larue Weller 2014
No Age Statement (Single Barrel)
Buffalo Trace Single Oak Project Barrel 20
9 Years & Under
Booker’s Bourbon 63.95%
10-17 Years (Multiple Barrels)
Eagle Rare 17yo 2014


RYE

No Age Statement
Thomas H Handy
Up to 10 Years
Pikesville Straight Rye 110 Proof
11 Years & Over
Sazerac 18yo 2014


WHEAT

Wheat Whiskey of the Year
Parker’s Heritage 13yo / Release 8


CANADIAN WHISKY

Canadian Whisky of the Year
Crown Royal Northern Harvest Rye


JAPANESE WHISKY

Japanese Whisky of the Year
Yamazaki Mizunara 2014 (Japan only)
Single Malt of the Year (Multiple Barrels)
Yamazaki Mizunara 2014 (Japan only)
Single Malt of the Year (Single Barrel)
SMWS 119.14


EUROPEAN WHISKY

European Whisky of the Year (Multiple)
English Whisky Co. Chapter 16 / Peated Sherry Cask
European Whisky of the Year (Single)
Kornog Taouarc’h Chwec’hved 14 BC


WORLD WHISKIES

Asian Whisky of the Year
Amrut Greedy Angels 10yo
Southern Hemisphere Whisky of the Year
Heartwood The Good Convict



Fonte: thewhiskyexchange.com

domingo, 29 de novembro de 2015

Desvendando Nº 32 - 100 Pipers


Criado em 1965 pela empresa Seagram, o 100 Pipers recebeu seu nome em homenagem a uma canção escocesa antiga. Simboliza a visão de 100 gaitas de fole conduzindo a marcha do exército sobre a cidade de Carlisle. Diante do temor do barulho o exército inglês, atordoado, bateu em retirada.

Quando a Seagram Company buscava uma marca para competir no setor de maior valor agregado, ela se inspirou na canção e deu o nome de 100 Pipers à sua marca. Tinha esperanças que, do mesmo modo, os concorrentes corressem de medo.

Com preço competitivo, foi um grande ícone da categoria “custo-benefício” do mercado de whisky escocês, onde teve um sucesso imediato. No Reino Unido, porém, por razões óbvias, foi depreciado.

O blend contém Alt-a-Bhainne, Braeval, Glenlivet e Longmorn. A Seagram desenvolveu a marca e ela continua a prosperar sob seus novos proprietários, a Chivas Brothers (que pertence à Pernod Ricard). Hoje, é um dos 10 Blends mais vendidos do mundo.

A venda do 100 Piper cresce em vários países, sendo o mais vendido na Tailândia. Espanha, Venezuela, Austrália e Índia, vêm logo atrás.


O que pude perceber:
Cor: âmbar claro, pouco viscoso.
Aroma: sente-se um aroma diferenciado, de frutas secas, talvez passas e frutas cristalizadas. Diferente do que eu esperava, sem muita influência dos whiskies de grãos e sem a presença pungente do álcool. Passa a sensação de algo mentolado. Com um pouco de água, acentuam-se os aromas mentolados e também surgem especiarias. Qualquer traço de álcool some. Com uma pedra de gelo, aromas de cereais e malte, além de uma sensação de cheiro de terra molhada.
Paladar: caramelo, cereais, um pouco picante. Uma ligeira dormência na boca, não muito forte, e finaliza com cereais. Com água, fica mais sedoso porém, sente-se agora o gosto dos whiskies de grãos e também um pouquinho de álcool. Já com gelo, achei que ficou aguado, perdendo suas características. No final ainda perdura um pouco de cereais, Ficou muito leve.

É um whisky suave, ótimo para ser misturado. Há outras opções melhores no segmento de blends standards. Nesta degustação levei vantagem. A garrafa que comprei de 1 litro veio com uma miniatura de brinde, de modo que não precisei abrir uma garrafa inteira. Como dá para perceber, uma garrafinha destas equivale a uma dose bem generosa.




100 Pipers

Blend Teor Alc 40%


Coloração pálida. Um whisky leve e muito misturável, com um paladar uniforme e, aida assim, um suave sabor defumado.

quarta-feira, 25 de novembro de 2015

Jim Murray elege como Whisky do Ano de 2016 o Canadian's Crown Royal

Uma das destilarias mais remotas do mundo foi premiada no World Whisky of the Year pela primeira vez.


A Destilaria Gimli, que fica às margens do Lago Winnipeg no centro do Canadá, é o lar da marca Crown Royal. Na Bíblia do Whisky 2016 de Jim Murray, publicada recentemente, levou o cobiçado título de Whisky do Ano, com sua edição especial Northern Harvest Rye.

É a primeira vez que um whisky canadense ganha o prêmio máximo na Bíblia do Whisky, na 13ª edição anual. No ano passado, o mundo do whisky foi abalado quando o prêmio foi para um single malt japonês.

Autoridade no mundo do whisky, Jim Murray, que provou mais de 1.000 novos whiskies antes de fazer seu anúncio, disse que no ano passado as pessoas ficaram chocadas quando deu o prêmio ao Yamazaki, até que elas o provaram. Então, viram que não era afronta aos escoceses e que era algo verdadeiramente extraordinário.

Este ano, sem dúvida, haverá muito mais agitação, porque raramente é mencionado o Canadá quando se fala nos whiskies top do mundo. Mas, novamente, as pessoas serão surpreendidas com a beleza intransigente e original deste whisky. Ele certamente colocará o centeio como marca do whisky canadense.


Apesar do whisky canadense ser comumente conhecido como centeio, esta nova marca é uma de apenas um punhado que na verdade é feita a partir de cerca de 100% de centeio. A maioria dos outros são destilados a partir de milho ou trigo com centeio e outros aromas adicionados.

Segundo Murray, ele estava até considerando rebaixar o whisky canadense de ter seu próprio capítulo na Bíblia. A qualidade do whisky canadense vinha decepcionando há algum tempo com muitos produtos que não eram whisky, tendo suco de frutas ou vinho adicionados para dar um sabor mais suave. Então Northern Harvest Rye aparece do nada e muda o jogo.

Na Bíblia do Whisky 2016 ele dá ao Northern Harvest Rye um recorde de qualificação: 97,5 de 100 pontos e comenta: "dizer que este é uma obra-prima é apenas fazer justiça".

Este é o segundo ano consecutivo em que um whisky escocês não recebe uma das maiores honrarias da Bíblia do Whisky. O mais próximo foi o Glenfarclas 1957 Family Casks #2110, que foi nomeado "Whisky Single Cask do Ano".


Fonte: whiskyintelligence.com

sexta-feira, 20 de novembro de 2015

Destilaria Benromach revela dois novos whiskies com acabamentos em madeiras diferentes

A destilaria Benromach anunciou o lançamento de duas novas edições limitadas com acabamentos diferentes em madeira: Sassicaia e Hermitage.

Essas expressões oferecem um perfil de sabor único como resultado de um período de acabamento final em barris de vinho das regiões vinícolas ilustres do norte do Rhône, Haut-Médoc, perto de Bordeaux, e Bolgheri na Toscana.


Finalizado por 18 meses em barris antigos de vinho Sassicaia de Bolgheri, Toscana, após maturação em barris de bourbon de primeiro uso, Benromach Sassicaia (ABV 45%) é uma bebida requintada que tem uma coloração vermelho rubi profundo adquirida naturalmente. Frutas vermelhas são sentidas no nariz seguido por notas de gengibre e canela, complementado por um acabamento esfumaçado sutil. No paladar, sabores de pimenta que logo dão lugar a frutas maduras, com notas de chocolate, seguido por uma sutil fumaça.


Benromach Hermitage (ABV 45%) deve seu sabor único a um período final de acabamento em cascos de carvalho que anteriormente continham vinho do Hermitage Appellation d'Origine Contrôlée, na região norte do Rhône, na França. Aromas de frutas doces de verão, principalmente limão, seguido de um toque de baunilha e canela, permeado pela fumaça de turfa e uma pitada de hortelã e pimenta. O paladar é frutado e doce, com sabores de cereja escura e laranja, combinando com chocolate ao leite cremoso. Apresenta ainda uma fumaça suave e um final longo e frutado.

Os novos lançamentos de Benromach seguem a linha de edição limitada de acabamentos em madeira, juntando-se às expressões Château Cissac e Hermitage 2004, que foram lançados em 2014.

A maturação em barris de vinho de regiões distintas cria um sabor distinto no whisky e permite o desenvolvimento de um caráter verdadeiramente único. As novas expressões já estão disponíveis para compra em lojas especializadas de whisky com um preço de £ 39,49.


Fonte: whiskyintelligence.com

quarta-feira, 18 de novembro de 2015

Old Pulteney lança seu terceiro vintage “Flotilla”


A Entente Cordiale* está novamente sendo homenageada pelo single malt Old Pulteney com o lançamento de seu terceiro vintage, “Flotilla”, que será inicialmente disponibilizado no mercado francês.

Old Pulteney Flotilla 2005 foi revelado no Whisky Live Paris em setembro em colaboração com La Maison du Whisky, com uma edição limitada de apenas 12.000 garrafas destinadas a revendedores independentes na França.

Flotilla, uma frota de barcos ou navios de pequeno porte, está enraizada na antiga palavra francesa “flote”, significando multidão. O mais recente lançamento segue o sucesso dos premiados vintages Flotilla 2000 e 2004 entre os fãs franceses do whisky Old Pulteney.

Feito na Destilaria Pulteney na cidade costeira de Wick, no extremo norte da Escócia, a nova safra é amadurecida em barricas de carvalho americano ex-bourbon para dar ao single malt sabores complexos, suaves e de características costeiras.

Aparência: ouro brilhante.
Aroma: baunilha cremosa com um toque de aromas de especiarias seguidos por notas brilhantes de limões e maçãs cozidas, arredondados com uma distinta nota marítima.
Sabor: frutas tropicais e especiarias moídas na hora, cítrico, com um toque doce de caramelo. O acabamento é aveludado, salgado e persistente.

O whisky é complementado por uma embalagem marcante da Flotilla, desenhado em azul macio e prata, com a marca do barco pescador de arenque Old Pulteney, todos inspirados pela herança marítima profundamente enraizada do malte.

Com este lançamento, a Old Pulteney mira nos apreciadores de whisky franceses e espera lançar outro vintage do Flotilla. Esta versão de 70cl é engarrafada em 46% ABV, possui cor natural e é não filtrada a frio. O preço: € 54.

*Entente Cordiale – conjunto de tratados de cooperação entre Reino Unido e França.


Fonte: whiskyintelligence.com


segunda-feira, 16 de novembro de 2015

Catto's celebra seu fundador visionário com nova roupagem


O patrimônio notável do whisky escocês Catto's foi representado em um novo e impressionante design da garrafa e da embalagem, lançados no último mês. O premiado whisky mergulhou fundo na história de seu fundador James Catto, um empresário ambicioso e pioneiro dos blendeds e que foi um dos primeiros a enviar whisky para todo o mundo, quando Catto's foi criado em Aberdeen, em 1861.

O espírito empreendedor de James Catto está no cerne da nova proposta da marca, que presta homenagem às conexões do início da produção do whisky com a idade de ouro das viagens no oceano, das linhas de navegação White Star, que também vêm de Aberdeen, e cujos fundadores eram amigos antigos de escola de James Catto.

O design dinâmico e elegante da nova garrafa tem uma estética contemporânea. A forma do rótulo toma a inspiração da proa de um barco e a garrafa caracteriza um "efeito cascata", como se um barco estivesse cortando um caminho através das ondas no oceano. O projeto reflete a história dos transatlânticos que teriam levado o Blended Scotch Whisky de Catto a todos os cantos do mundo.

O novo visual de Catto's está sendo revelado para a indústria global desde o último mês e visa dar à marca uma forte identidade no segmento de padrão superior da categoria, com lançamentos no Canadá, Rússia e Espanha e, em seguida, será implantado globalmente em 2016.

Os apreciadores de whisky poderão se identificar com o espírito pioneiro de James Catto e sua dedicação para fazer um whisky excepcional, lançado na Escócia, com uma determinação para enviá-lo ao redor do mundo para que mais pessoas pudessem desfrutar. As belas garrafas e embalagens trarão a sua história para a vida e darão um novo olhar marcante para apoiar os planos ambiciosos da Catto's nos mercados globais nos próximos anos.

Catto's é um whisky perfeitamente equilibrado com uma alta proporção de maltes das regiões de Speyside e Highland, descritos na Bíblia de Jim Murray de 2015 como "um whisky absolutamente magistral, que refresca e relaxa."


Fonte: whiskyintelligence.com


domingo, 15 de novembro de 2015

Desvendando Nº 31 - Bell's Extra Special

“Vários whiskies bons misturados entre si agradam aos palatos de um número maior de pessoas do que um whisky puro”, disse Arthur Bell.


Assim como vários outros blends escoceses, o Bell's inicia sua história numa pequena loja da cidade de Perth. A loja foi aberta em 1825 e comercializava chá e whisky.

Arthur Bell se tornou sócio da empresa em 1850 e passou a se interessar pelos whiskies misturados, que cresciam em popularidade. Por isso, começou a comprar estoques de bons whiskies para seus clientes e também para o blend da empresa, que ganhava mercado. O crescimento do sistema ferroviário da Escócia significava maior capacidade de escoamento da produção aos novos mercados que se abriam na Inglaterra, o que o levou a nomear logo um representante em Londres, em 1863.


Arthur morreu em 1900 e deixou a empresa para os filhos. Quatro anos depois o nome Arthur Bell & Sons já estampava o rótulo da bebida, que mostrava uma pedra sendo arremessada por um jogador de curling (esporte tradicional escocês jogado em uma pista de gelo, que lembra o boliche e é bastante popular nos Estados Unidos, no Canadá e em países nórdicos).

Em 1933, a Bell's adquiriu as destilarias Blair Athol e Dufftown e, três anos depois, a Inchgower. Em 1985, a companhia perdeu sua independência e foi comprada pela Guinness e, em seguida, pela United Distillers.


Hoje em dia a empresa pertence à Diageo, que tomou uma série de medidas para consolidar a posição da Bell's. As instalações destinadas aos visitantes da destilaria Blair Athol (a fonte do single malt da essência do blend) foram melhoradas e o blend em si passa por transformações e evoluções contínuas, Depois de 14 anos sendo vendido como um 8 anos, o Bell's não apresenta indicação de idade desde 2008. Porém, mantendo o espírito do próprio Arthur Bell, grande ênfase é depositada na qualidade dos blenders, e a empresa afirma que os consumidores experientes preferem a nova versão.

Os decanters famosos da Bell's são lançamentos com edições limitadas. Foram produzidos pela primeira vez na década de 1930 e um decanter decorado com imagens festivas e alegres é lançado a cada Natal desde 1988.


O que pude perceber:
Cor: ouro claro. Médio corpo.
Aroma: cereais, lembrando pão, malte, caramelo, baunilha, álcool não muito pronunciado e grãos. É bem seco. Com um pouco de água, os aromas foram suavizados, pronunciaram-se os de cereais e deu para perceber algo frutado, cítrico. Com uma pedra de gelo, desta vez senti um cheiro azedo, assim como o cheiro de grãos bem pronunciado. Um pouco de frutado. A baunilha sumiu.
Paladar: primeiro nota-se um sabor azedo, adstringente, depois, o álcool, que não é muito sentido no aroma, vem queimando tudo, deixando uma ardência na boca. Por fim, o sabor dos grãos toma conta. Com água, o azedo do início enfraqueceu, começou mais leve, passou para o gosto de cereais e então, o álcool voltou a preencher a boca, descendo queimando. Com gelo, o whisky ficou meio licoroso e seus sabores se enfraqueceram. Ficou cremoso, permanecendo ainda o azedo, porém a queimação do álcool diminuiu bastante. A finalização ficou bem curta.

Depois que você o prova, consegue sentir os cheiros de ervas e temperos, algo picante. Na segunda prova, já esperando o que vinha pela frente, deu para perceber outros sabores, mas o álcool sempre toma conta, assim como o sabor picante e de ervas. Dos blends que experimentei até agora, na minha opinião, este foi o pior.

Quem acompanha meu blog sabe que não tenho preconceito com a bebida e experimento todos, sem distinção. Mas este eu confesso que não gostei. Um sabor azedo, algo como produto de limpeza toma conta de tudo, mesmo com água e gelo. Cabe ressaltar, porém, que não é o mesmo Bell's vendido aqui no Brasil. Este é o Bell's Extra Special, engarrafado na Escócia e com 43% ABV. O que é vendido no Brasil é engarrafado aqui e com 40% ABV. Talvez esta diferença de 3% no teor alcoólico tenha feito com que o whisky ficasse “ardido”. Acho que em misturas, ele ficará bom.




Bell's Extra Special

Blend Teor Alc 43%


Assim como o Blair Athol, o Dufftown e o Inchgower são componentes importantes deste whisky, juntamente com o Glenkinchie e o Caol Ila. Um blend moderadamente encorpado, com aroma de nozes e leve sabor de especiarias.

quarta-feira, 28 de outubro de 2015

Old Pulteney revela seu segundo single malt turfado


A destilaria Old Pulteney adicionou em seu premiado portfólio um segundo whisky turfado, o excepcional Old Pulteney 1989. Este single malt foi liberado para o Reino Unido em setembro e será agora entregue aos mercados globais a um preço de varejo de £ 135 por garrafa.

Para dar à nova safra um caráter esfumaçado, o whisky é envelhecido em barris de carvalho americano ex-bourbon selecionados à mão e que anteriormente continham whisky fortemente turfado. A bebida possui cor natural, é não filtrada a frio e engarrafada a 46% ABV. É a personificação da habilidade excepcional da destilaria Old Pulteney. No paladar é turfado no começo, tem boa sustentação e é picante. A seguir, notas de baunilha, coco e laranjas. O acabamento é de longa duração.

A garrafa possui detalhes atraentes e o design de Old Pulteney 1989 reflete a alta qualidade do whisky que possui ainda o patrimônio marítimo da marca.

Fundada em 1826, no auge do boom de arenque de Wick, a destilaria Old Pulteney é uma das destilarias mais setentrionais do continente escocês. É esta herança marítima única que dá ao whisky sua identidade como um “Maritime Malt”. Favorito de longa data para os entusiastas de whisky, muitos dizem que podem provar um leve toque de mar em Old Pulteney graças à localização da destilaria, varrida pelos ventos vindos do Mar do Norte.

O lançamento de Old Pulteney 1989 marca um ano crucial para a marca, que ganhou uma corrente de prestigiosos prêmios internacionais que refletem a qualidade do whisky.



Fonte: whiskyintelligence.com


segunda-feira, 26 de outubro de 2015

Royal Salute lança “Reserva Eterna”

Royal Salute acaba de anunciar Eternal Reserve, whisky que usa uma técnica de mistura inovadora para criar uma bebida excepcional que irá, literalmente, viver para sempre.


Royal Salute selecionou whiskies raros e preciosos com um acabamento excepcionalmente longo para misturar e casar num conjunto de 88 tonéis para formar o lote inaugural. Usando um processo exclusivo chamado Circular Blending, Royal Salute se comprometeu a incluir esta mistura original em cada lançamento subsequente nas próximas décadas.

Cada vez que um novo lote é produzido, a metade da mistura será re-embarrilada no Royal Salute Vault para conservar o precioso líquido criado em 2015. Assim, a mistura original é preservada para sempre por esta re-circulação perpétua.

Para este novo whisky cuidadosamente elaborado, foi desenvolvida uma garrafa de porcelana com um novo design, uma dedicação à verdadeira arte. Com características distintas, as garrafas de porcelana foram todas criadas combinando técnicas milenares com um ícone da assinatura contemporânea, que reflete o processo do blending circular.

O primeiro lote de 88 barris será lançado e vendido exclusivamente nas lojas de viagem, apoiado por uma campanha promocional e merchandising digital trazendo a história do Royal Salute The Eternal Reserve à vida. Estará disponível com preço de US $ 180 por 70cl.

Processo Circular de mistura
A primeira criação do Royal Salute The Eternal Reserve começou com a preparação de 88 barris de whiskies incrivelmente raros e preciosos, todos com idade em seus barris para mais de 21 anos. Estes whiskies foram cuidadosamente selecionados usando dois critérios: em primeiro lugar, que cada whisky possuísse um acabamento longo excepcional que poderia ser prorrogado através da mistura e do processo de casamento e, em segundo, que os whiskies escolhidos pudessem ser maravilhosamente harmonizados em cada novo lote, mantendo a assinatura original e o estilo de sempre.

Uma vez selecionados, os whiskies preciosos foram misturados e depois casados em 88 barris no Royal Salute Vault por um período de seis meses. Esta mistura inicial é então misturada com outros 88 barris de preciosos whiskies envelhecidos excepcionalmente para concluir o primeiro lote.

Antes do engarrafamento deste primeiro lote, a equipe de peritos coloca metade da mistura de volta, devolvendo aos 88 barris originais, para que possam formar a base do próximo lote. Estes 88 barris serão sempre salvaguardados na destilaria Strathisla, no Royal Salute Vault. Cada vez que um novo lote é misturado, o mesmo processo - a circulação de 88 barris - é repetido; os whiskies dos 88 cascos do lote anterior são adicionados à mistura do próximo lote.


Notas de Prova:
Uma sensação de grande maturação é a primeira a chegar. Depois, peras em calda, favo de mel e baunilha cremosa. Uma inconfundível e intensa doçura começa. Então vem o estouro do rico mel líquido, suco de laranjas carregado de alcaçuz e picante. Sedoso, gracioso e sereno. O tempo revela uma bela e incrivelmente longa finalização. Como o eterno ciclo da natureza, um acabamento que dura e dura, nunca termina.

O Design da Embalagem
A criação de cada garrafa de porcelana é artesanal e feita de cerâmica utilizando técnicas tradicionais, milenares. Cada frasco individual leva até 5-6 dias para ser terminado, antes de ser verificado para se certificar de que está completamente livre de todas as imperfeições. Para garantir isso, cada frasco deve produzir uma nota aguda perfeita. O frasco é então vitrificado utilizando técnicas artesanais tradicionais com esmalte, tomando um tom berinjela brilhante.

O logotipo da marca, o nome e o símbolo único do Circular Blending são então aplicados à mão sobre a garrafa utilizando transferência de lâmina de água e o gargalo da garrafa é envolto em uma etiqueta de pergaminho creme com a assinatura do Master Blender e o carimbo Eternal Reserve como um selo de aprovação .

A preciosa garrafa está alojada dentro de uma caixa rígida que também possui o símbolo único Circular Blending. A caixa rígida continua na cor beringela da garrafa e combina com toques de ouro para causar impacto nas prateleiras.



Fonte: whiskyintelligence.com


quarta-feira, 21 de outubro de 2015

Desvendando Nº 30 - Islay Mist 8 Anos


Qual apreciador de whisky que, começando a estudar e entender os diferentes sabores da bebida não se deparou com o primeiro encontro com a turfa? Ou então, o apreciador de whiskies frutados e florais que adia o encontro com a toda poderosa turfa?

Muitos, ao tentar provar o primeiro whisky turfado, partem logo para whiskies mais robustos como Ardbeg, Laphroaig ou Lagavulin. Ou então, para não ir com tanta sede ao pote, preferem as versões suavizadas, Black Grouse, White Horse ou Double Black.

No primeiro exemplo, ao abrirem as garrafas, a fumaça explode, como vindas de fogueira à beira-mar. Fuligem, alcatrão, sal iodado e algas inundando tudo. No segundo, por serem whiskies muito jovens, o álcool predomina, são um pouco ásperos e brutos. Difícil encontrar um equilíbrio.


Quando se envelhece o whisky de malte, a intenção é torná-lo mais palatável, agradável ao consumo, mais saboroso. Os maltes com as características de Islay, com seu caráter esfumaçado, parecem precisar de um tempo menor se comparado com os whiskies de outras regiões. Além disso, eles se fundem bem com whiskies de grãos.

Nesta linha de raciocínio, para atender apreciadores mais comedidos, surgiu O Islay Mist, que consegue entregar o sabor da turfa, fumaça, algas, sal e outras notas marítimas e fenólicas de uma forma mais suave, graças aos whiskies de grãos misturados e single malts de outras regiões, como o Glenlivet. Ele é um whisky bem atraente para os iniciantes em Islay. A promessa do equilíbrio.

Criada em 1922 para o 21º aniversário do filho do proprietário da Islay House, Islay Mist é um blended de single malts altamente premiado. O sabor forte do Laphroaig predomina, embora seja temperado com maltes de Speyside e das Terras Altas. Islay Mist é o preferido de quem gosta de whisky com sabor de turfas, mas é excelente alternativa também para blends com menos caráter. Está disponível nas versões padrão, De Luxe, 8 e 17 anos. As duas últimas são feitas com receitas de blends idênticas, a diferença está no tempo de envelhecimento.


O que pude perceber:
Cor: dourado claro, médio corpo.
Aroma: primeiramente o que se percebe é a turfa. Depois vem um cheiro suave e doce. Possui as características marcantes do Laphroaig. O álcool não é perceptível. O defumado se mistura com o aroma do malte e com um frutado que se nota no fundo, talvez pera ou maçã. Com um pouco de água dá para sentir algo floral misturado com especiarias. Um aroma picante aflora. Como aconteceu com quase todos os turfados que experimentei, a água faz com que a turfa se retraia, mas ainda está bem presente.
Paladar: primeiramente se percebe o doce preenchendo a boca, depois o frutado toma conta e, por fim, a fumaça, o defumado fica, num final, de certa forma, um tanto longo. É um pouco cremoso, dá para sentir um toque amanteigado, mas definitivamente é a turfa que manda no jogo. Com a água, começa com o turfado, fica doce, frutado, e finaliza novamente com o defumado. Um defumado doce, longo e persistente.

Quando degustei este whisky, estava uma noite chuvosa e fria, de modo que ficarei devendo as notas de degustação com gelo. Comprei a garrafa num free shop por módicos U$ 13,90. Com esse preço, não esperava muia coisa. E não é que ele me surpreendeu? Achei um whisky bem equilibrado. Dá para notar claramente a influência do Laphroaig, temperado por whiskies das Highlands e Speyside. Isso faz com que a turfa seja suavizada além de dar toques frutados e florais à bebida. Ficou bem interessante.

Irá agradar quem gosta de whiskies turfados e também quem quiser começar a se aventurar por este tipo de whisky. Acredito que a quantidade de fenóis esteja na casa dos 30 p.p.m. E para fechar com chave de ouro, este é um 8 anos legítimo.




Islay Mist 8 Anos

Blend Teor Alc 40%

Um whisky com grande sessão defumada que algumas pessoas consideram mais fácil de beber que o extremo malte de Islay. Doce e complexo por causa da quantidade de turfas.