Whisky

Whisky

quinta-feira, 29 de setembro de 2016

Destilaria Glenfiddich anuncia o lançamento de série Experimental


Glenfiddich Experimental Series combina a paixão da marca em desafiar os limites do whisky escocês e a colaboração com pioneiros do mundo do whisky. A série foi projetada para inspirar variantes incomuns e inesperadas e os dois primeiros resultados já estão disponíveis para compra.

Trabalhando no laboratório até tarde da noite, o Malt Master da Glenfiddich, Brian Kinsman, trouxe dois novos whiskies à vida. O resultado foi o Glenfiddich IPA Experiment e o Project XX (Project Twenty, ou Projeto Vinte).


IPA Experiment é fruto de uma colaboração com um fabricante de cerveja artesanal local de Speyside e impregna o whisky com um sabor cítrico e lúpulo picantes dos cascos de carvalho que anteriormente continham uma ousada Speyside IPA (Índia Pale Ale). Com delicada maçã verde madura, pera e flores no nariz, uma nota cítrica vibrante seguida de baunilha doce e lúpulos frescos no palato e uma doçura de longa duração com lúpulos verdes sutis no acabamento, este single malt é engarrafado em 43% ABV. O preço sugerido de venda é de £ 45.


Project XX é o resultado de um dos mais ambiciosos experimentos empreendidos pela Glenfiddich. Reunindo 20 especialistas de whisky de 16 países ao redor do mundo, o Project XX é uma combinação de barris selecionados por cada perito direto dos armazéns da Glenfiddich e cuidadosamente casados em um pequeno lote vatting pelo Malt Master Brian Kinsman.


Este whisky possui ouro profundo na cor, o frutado clássico no nariz, notas de flor de maçã e pera madura equilibrados com carvalho, baunilha cremosa e especiarias. O paladar é refinado e equilibrado com doçura de algodão doce complementada por amêndoas torradas, baunilha, canela e um amadeirado rico. O acabamento é longo, com notas de carvalho doce persistente. O preço sugerido é de £ 50.


Fonte: whiskyintelligence.com

quarta-feira, 28 de setembro de 2016

Chivas 18 e Pininfarina revelam lançamento de edição limitada de luxo


Chivas Regal 18, apontado como o melhor blended do mundo pela International Wine and Spirit Competition em 2014, anunciou um novo capítulo na sua parceria com a Pininfarina, a prestigiada empresa de design italiana conhecida por seu artesanato e design de vanguarda. Após dois anos de sucesso de colaboração, Chivas 18 e Pininfarina apresentam uma elegante embalagem metálica que terá um destaque impactante nas prateleiras.

Combinando seus valores comuns de artesanato, estilo e tradição, Chivas 18 e Pininfarina criaram uma embalagem dinâmica de estanho usando curva e fluidez, destacando o scotch whisky de luxo dentro. Casando forma e função, a edição limitada ecoa as criações aerodinâmicas da Pininfarina com um único corte na caixa torcida para exibir os tons dourados do whisky. Este design simples sugere a harmonia do sabor, enquanto a embalagem representa a harmonia da linha.



A nova criação de Chivas 18 por Pininfarina é uma excelente peça de design e será lançada globalmente a partir de outubro de 2016 com um preço sugerido de US$ 75.


Fonte: whiskyintelligence.com

segunda-feira, 26 de setembro de 2016

Desvendando Nº 44: Logan De Luxe 12 Anos

Entre os whiskies que são quase onipresentes nas prateleiras de lojas e restaurantes em Portugal e na Espanha, está o blended Logan De Luxe 12 anos. Aqui no Brasil, encontramos, acanhadamente, em alguns lugares.


Logan 12 anos é um produto da White Horse Distillers de Edimburgo, produtores do famoso blended White Horse que tem tido, de uma forma ou de outra, sucesso desde a década de 1860. Essa empresa é, por sua vez, de propriedade da Diageo. A Diageo o coloca no mesmo grupo do Dimple, e muitas vezes, por partilhar o mesmo espaço de prateleira, acaba não sendo muito favorecido.

Esta rara mistura de whisky envelhecido foi criada como um tributo à longa vida de excelência de James Logan Mackie, fundador da White Horse. A primeira produção do Logan foi idealizada por Sir Peter Mackie, o criador do blended White Horse e sobrinho de Logan, após herdar a empresa do tio. Logan era conhecido como um destilador e misturador de notável habilidade e usava somente os melhores whiskies, no auge da sua perfeição, em suas misturas. Logan De Luxe continua sua tradição e carrega a assinatura dele como uma garantia de melhor qualidade.

O whisky supostamente se baseia em Lagavulin, Glen Elgin e Craigellachie na composição de seus whiskies de malte, mas a verdade é que pouca informação oficial é publicada sobre o Logan De Luxe. Então, todo o material que existe até agora fica na base dos rumores. Um deles é que o Logan seja a versão de 12 anos do próprio White Horse, uma vez que utiliza a mesma garrafa do White Horse Extra Fine 12 anos.


É difícil afirmar algo de concreto. Primeiro porque os dois whiskies existem ao mesmo tempo, compartilham a mesma garrafa e até a mesma composição. Ambos possuíram um ABV de 43% e agora possuem somente 40%. A hipótese válida é a de que seja somente uma alteração de rótulo para atingir outros mercados. Permanece a dúvida. Universitários?

O que pude perceber:
Aparência: cor ouro, corpo médio.
Aroma: primeiramente um pouco de álcool aparece, mas some logo em seguida. Depois, vem um aroma de malte, um defumado sutil, whiskies de grãos e após, um amadeirado. O que fica mais evidente, no entanto, é a madeira. Com um pouco de água, ressalta os cereais e o defumado some. Os whiskies de grãos também se sobressaem, deixando o malte para trás. Qualquer vestígio de álcool também some, deixando a bebida com um aroma bem suave. Até mesmo as características amadeiradas diminuem. O adocicado da baunilha, porém, fica mais evidente. Com gelo, realçou o defumado e um pouco de notas florais aparecem. Ficou ainda mais suave, contraindo as outras notas. Desta vez o álcool não é percebido, mas com certeza, o defumado é quem dá o tom.
Paladar: cereais, whiskies de grãos, presença de um leve defumado e uma baunilha sutil. Finaliza um pouco quente, mas de uma certa forma, curta. Não há dormência na boca. A água confirma as notas de cereais e baunilha, porém ainda se nota um fundo, bem fraco, de defumado. Ficou mais refrescante, mais suave e, com isso, a finalização que antes era quente, agora finaliza de uma forma mais suave. O gelo realçou o defumado, os florais e a baunilha de fundo. Ficou mais refrescante e bem suave. É um whisky que dá para beber bastante com gelo e, na minha opinião, é a melhor forma de bebê-lo. O gelo ajudou a trazer algumas notas que lembram o White Horse, ainda que vagamente.

Apesar da garrafa possuir um estilo de decanter ornamentado, eu fiquei um pouco frustrado com este whisky. Esperava bem mais dele, uma vez que é da família do White Horse, um whisky que eu aprecio bastante. Sua pouca sofisticação é um contraponto à sua garrafa. Apesar disto, não é ruim, é um whisky suave, não agride, não é forte, porém sem a complexidade esperada para um whisky de 12 anos.




Logan De Luxe 12 Anos

Blend Teor Alc 40%

Com intenso caráter defumado e influência marítima. Complementa o equilíbrio um aroma levemente adocicado.

sexta-feira, 23 de setembro de 2016

Jim Beam lança novo Bourbon premium: Jim Beam Double Oak


Jim Beam, a marca de bourbon No. 1 no mundo, anuncia o lançamento de Jim Beam Double Oak, um excepcional Kentucky Straight Bourbon Whiskey, perfeitamente equilibrado, maturado em carvalho por duas vezes, para criar sabores ricos e amadeirados.

Com a idade de quatro anos maturando em barricas novas de carvalho americano recém-carbonizados, Jim Beam Double Oak é então transferido para novas barricas de carvalho americano recém carbonizados e continua o envelhecimento. O segundo barril permite que o líquido desenvolva um nível ainda mais profundo de amadeirado e rico em caramelo. O envelhecimento secundário proporciona uma complexidade adicional ao perfil de sabor, tornando uma experiência única.

Jim Beam Double Oak estará nas prateleiras este mês. Esta última inovação da Jim Beam tem uma cor âmbar dourada e um amadeirado temperado distintivo, com sabores intensos de caramelo e toffee. O aroma traz ricas notas de caramelo e baunilha com notas de madeira tostada. É melhor apreciado puro, mas vai bem com gelo ou misturado em coquetéis clássicos americanos e tem um preço de varejo sugerido de $22,00 por garrafa de 750ml.

A Jim Beam desenvolveu um infográfico personalizado para um olhar mais de perto sobre o processo e a importância do carvalho na produção do bourbon. Acesse o link: http://www.jimbeam.com/en-us/double-oak .


Fonte: whiskyintelligence.com

quinta-feira, 22 de setembro de 2016

Lançamentos especiais da Diageo em 2016


Nessa mesma época, todo ano, a Diageo libera edições especiais. Os lançamentos especiais são uma gama anual de whiskies que aparecem a cada outono. Como a Diageo é proprietária de mais destilarias na Escócia do que qualquer outra empresa, nem todos os seus produtos obtém a mesma exposição. Os lançamentos especiais são uma oportunidade para corrigir isso.


Auchroisk 1990 25yo. 51,2% ABV. 3.954 garrafas, ~ ₤ 280

Difícil de pronunciar e raramente visto, o malte de Auchroisk costumava vir com o nome de Singleton. Esta terceira aparição nos lançamentos especiais é uma mistura de barris de carvalho americanos e europeus de segundo uso e é bastante diferente do sherry pesado do Auchroisk 30 anos lançado alguns anos atrás.

Nariz: fresco, verde e afiado, inicialmente, com o desenvolvimento de doce de baunilha. Cítrico e lavanda com perfume de limão. Bálsamo, toques de creme de menta, cravo e anis para terminar.
Paladar: cremoso e floral para começar, com notas de folhas de hortelã e samambaia apoiados por anis suavemente picante. Com água abrem-se as especiarias e acrescenta notas de laranja. Culmina com um toque de pimenta preta.
Finish: chocolate escuro, groselhas, folhas de groselha, crostas de pão de centeio, casca de laranja e uma explosão de calor de anis.
Comentário: a ênfase aqui é no carvalho americano, mas gramíneas verdes e um caráter frondoso se escondem por trás, temperado por uma quantidade certa de carvalho picante.


Glenkinchie 1991 24yo. 57,2%. 5.928 garrafas. ~ £ 300

Glenkinchie recebe um grande número de abusos imerecidos de alguns apreciadores de whisky. Esta versão se afasta do perfil regular da destilaria, sendo totalmente amadurecido em carvalho europeu de segundo uso.

Nariz: cítrico doce, flores, açúcar e glacê real, com um toque de bolo de frutas (uma fatia de bolo de casamento e uma fatia de limão no mesmo pedaço). Maçãs cozidas adicionam uma nota doce-e-azedo com amêndoas doces. A adição de água põe para baixo o frutado, mas emerge uma nota de laranjas quentes.
Paladar: mais escuro do que o esperado, com tempero e uma onda de especiarias e sabor frutado concentrado. Maçã e suco de frutas tropicais. A adição de água suaviza o calor do tempero, revelando toffee, maçãs e biscoitos agradáveis com açúcar polvilhado.
Finish: amêndoas açucaradas, um toque de calor de anis, laranja suculenta.
Comentário: notas de carvalho europeu adicionam uma profundidade escura ao estilo tradicionalmente mais leve do Glenkinchie, com muitas frutas e um toque de especiarias.


Cambus 1975 40a. 52,7% ABV. 1.812 garrafas. ~ £ 750

O já tradicional whisky de grão que entra nos lançamentos especiais este ano é de Cambus. Esta é a primeira versão pública da destilaria, que fechou em 1993. O único outro engarrafamento oficial foi o que marcou o encerramento. É amadurecido em carvalho americano de segundo uso e é bastante incisivo em seus 52,7% ABV, mesmo depois de 40 anos em madeira.

Nariz: toffee e verniz. É denso, com gomas, cera de mobiliário, balas de canela e creme de café. A água abre as coisas, revelando um frutado e um toque de serragem picante.
Paladar: doce, picante e concentrado, com um caráter quase de whiskey irlandês, ainda com o frutado, pastilhas de fruta preta e gomas de fruta, manga desidratada, ensopado de chá doce e uma moagem de pimenta preta. A água acalma e adoça as coisas com uma pitada de caramelo.
Finish: doces, groselha, folhas verdes, chocolate escuro e o verniz do nariz. A água acrescenta algum tempero.
Comentário: provado às cegas, passa por whiskey irlandês, repleto de frutas doces. As especiarias acrescentam uma outra dimensão.


Cragganmore. 55,7% ABV. 4.932 garrafas. ~ £ 400

Outra tradicional entrada para os lançamentos especiais, os whiskies NAS. Após dois anos de excelentes Clynelishes que incomodou os apreciadores por esconder os detalhes, vem um Cragganmore com pouca informação. Com barris americanos de segundo uso, barris americanos rejuvenescidos e barris de carvalho europeu na mistura.

Nariz: compota de fruta, carne chamuscada, carne de porco assada com molho de maçã e notas de pêra verdes. Batata frita como contraste. Uma pitada de vinagre de vinho branco. A água traz mais frutas.
Paladar: quente e picante, com um núcleo rico de carvalho e folhas verdes, cercados por sorvete de limão e especiarias, pimenta branca. Uma adição de água suaviza o calor apimentado e revela creme de laranja, açúcar mascavo e toques de xarope de bordo.
Finish: persistente doçura frutada, canela e chocolate escuro frutado, com uma camada de malte moído, tanto de malte normal e amargo, como chocolate malte fortemente torrado.
Comentário: da seleção deste ano, este é o único que requer algum pensamento e tempo. Mas recompensa com um trago profundo, rico e complexo.


Mannochmore 1990 25yo. 53,4% ABV. 3.954 garrafas. ~ £ 250

Para quem gosta de histórias, este Mannochmore é o destaque dos lançamentos especiais deste ano. Os cascos eram parte de um programa experimental da Diageo chamado Calculus, onde whiskies de diferentes destilarias em várias idades foram combinados com uma gama de tipos de barril em uma tentativa de pesquisar sistematicamente o envelhecimento, o acabamento e muito mais. Enquanto um dos resultados foi o Distiller's Edition, outro é um número enorme de barris interessantes guardados em armazéns, à espera de um propósito. Esta versão é uma combinação de bourbon primeiro uso, barris novos de carvalho e carvalho europeu.

Nariz: maçãs frescas e maçãs caramelizadas, regadas com creme temperado. Pastéis de nata polvilhado com noz-moscada aparecem ao longo do tempo, com creme de baunilha, caramelo e manteiga de confeiteiro. Com um pouco mais de tempo, notas almiscaradas de sândalo e especiarias se desenvolvem.
Paladar: toffee salgado e geléia de groselha para começar. Açúcar de confeiteiro vêm em seguida, com óleo de laranja, toques resinosos de pinho, sorvete e notas de especiarias novas: gengibre e cravo. A água aumenta a doçura e a riqueza, adicionando toques de creme brulee.
Finish: biscoitos com leite, xarope de framboesa e fudge. O café da manhã perfeito.
Comentário: para quem gosta de whiskies doces e pegajosos. Porém, nunca fica muito doce graças a notas salgadas que o trazem para o equilíbrio.


Linkwood 1978 37yo. 50,3% ABV. 6.114 garrafas. ~ £ 600

Nariz: maçãs, doçura suave. Lã molhada.
Paladar: doce e cremoso, morangos, ruibarbo e creme doces, um fundo de brownie, chocolate. Folhas verdes almiscaradas. A água traz mais notas doces.
Finish: mais ruibarbo e cremes, crosta de gelo e folhas verdes. A doçura desaparece lentamente, deixando as folhas.
Comentário: textura cremosa com doçura controlada e um equilíbrio de sabores, com frondosas notas florestais.


Caol Ila 2000 15yo. 61,5% ABV. ~ £ 90

Um dos quatro regulares no line-up e o primeiro dos engarrafamentos mais acessíveis. Ao contrário de versões regulares da destilaria, não é turfado. É uma mistura de cascos de carvalho americano de recarga e de carvalho europeu.

Nariz: toffee frutado e agulhas de pinheiro. Depois dessa nota inicial, flores do prado doces e grama, com uma pitada de fumaça distante no final. Desenvolve raspas de limão juntamente com mais notas de pinheiros e toques de rosas.
Paladar: toffee temperado e folhas pungentes, folhas de ruibarbo e pimenta branca. A água revela chocolate, mais toffee e uma mistura herbácea.
Finish: simples, mas persistente, com pimenta e chocolate escuro.
Comentário: o Caol Ila é geralmente a entrada e considerado a primeira compra dos lançamentos especiais de cada ano. E este ano não é diferente. A influência do barril é bem equilibrada e o caráter e o espírito da destilaria é claramente evidente. Ele funciona bem com água, tornando-se um whisky cordial.


Brora 1977 38yo. 48,6%. 2.984 garrafas. ~ £ 1.450

Outra entrada regular, e cada vez mais um dos mais procurados. A Brora foi fechada na década de 1980 e a falta de recentes lançamentos independentes sugere que é agora ainda mais raro do que Port Ellen. Todos os anos há rumores de que pode ser a última vez que se verá Brora nos lançamentos especiais.

Nariz: botas e casacos encerados, cobertores úmidos, toques de carne com uma pitada de fogueira, folhas de outono no pátio, casca de queijo mofado (no bom sentido) e um toque de conservas.
Paladar: macio e doce, com amêndoas e avelãs, cobertos com chocolate ao leite e equilibrados por uma doçura floral. Fundo de feno. Toques de alcaçuz doce juntamente com gomas de frutas vermelhas e fumaça suave.
Finish: açúcar, chocolate escuro, fumaça e tempero suave.
Comentário: Brora típico. Equilibra a fumaça com o outro lado do caráter de Brora, notas doces e frutadas.


Lagavulin 12yo. 57,7% ABV. ~ £ 80

O terceiro de entrada regular dos lançamentos especiais e o mais acessível. É a garrafa para os fãs de whisky esfumaçado, oferecendo uma visão mais crua e menos sutil do caráter de Lagavulin que qualquer uma das outras expressões regulares disponíveis da destilaria. O lançamento do Lagavulin 200º Aniversário 8yo este ano pode roubar um pouco do brilho desta versão, mas suspeita-se que ainda será a garrafa mais popular em 2016.

Nariz: pedaços de bacon, sal marinho, pinheiros, samambaias e folhas, tudo apoiado por uma camada de especiarias e fumo úmido. A água acrescenta notas oleosas bem como toques de creosoto.
Paladar: cinzas, rochas banhadas pelo mar e lareiras esfumaçadas, ferro fundido. Doçura no centro, com caramelo, salgado, fumo e chá doce equilibrados por cordas de alcatrão. A água traz alcaçuz doce e suaviza a fumaça.
Finish: toffee, mel, alcatrão e fumaça picante.
Comentário: tem todas as características à beira-mar e a fumaça dos anos anteriores, com grande doçura.


Port Ellen 1978 37yo. 55,2% ABV. 2.940 garrafas. ~ £ 2.500

A última garrafa da linha e o mais discutido a cada ano. Port Ellen fechou em 1983 e, desde então, whiskies da destilaria se tornaram alguns dos mais procurados no mundo, e cada vez mais fora do alcance da maioria das pessoas. A liberação deste ano foi amadurecida em barris de carvalho americano de recarga, bem diferente de algumas das edições de xerez de anos anteriores.

Nariz: amêndoas, camurça, sorvete de limão, fumaça oleosa, uma pitada de latas vazias de peixe, salmoura, mel floral de urze. Uma avalanche de sabores que funcionam impressionantemente bem. Conforme vai descansando no copo, pão de centeio picante, samambaias e toques de feno verde aparecem.
Paladar: doce e oleoso para começar, rapidamente se transforma em maçã com especiarias, pão de centeio, noz-moscada e pimenta branca. Depois, notas de couro, caramelo, toffee melado, alcaçuz, chocolate amargo, doce de groselha e fumaça amadeirada. A água traz mais especiarias e frutas, couro, maçã, pimenta preta e vagens de baunilha recém-raspada.
Finish: madeira, folhas verdes e florestas para começar, com suaves notas de alcaçuz antes de desaparecer para o chocolate escuro doce com uma pitada de erva-doce. Aparec tempero suave depois de alguns minutos.
Comentários: é uma bebida intensa, com a água adicionando mais intensidade. É um clássico Port Ellen com as notas de camurça e sorvete quase clichê perfeitamente equilibradas contra o fumo suave e caráter beira-mar. Uma bebida impressionante.

Os lançamentos especiais anteriores da Diageo são: 2008 parte 1/2008 parte 2, 2009, 2010, 2011, 2012, 2013, 2014 e 2015.


Fonte: whiskyintelligence.com


quarta-feira, 21 de setembro de 2016

Buffalo Trace Distillery divulga a coleção Antique 2016


É a melhor época do ano para os fãs de whiskey, quando a destilaria Buffalo Trace libera sua coleção Antique 2016. A coleção altamente aguardada terá mais uma vez cinco whiskeys de produção limitada com várias idades, receitas e graduações alcoólicas.

George T. Stagg
O favorito da coleção Antique, George T. Stagg está mais robusto este ano com 144,1 proof. Versões anteriores deste bourbon ganharam muitos prêmios, incluindo duas vezes o de spirit número um no mundo pelo The Spirit Journal. A produção deste ano contém bourbon de barris preenchidos na primavera de 2001. Este lote continha 142 barris, mas não encheram muitas garrafas como era esperado devido a alguns “anjos” muito gananciosos. Encontrar uma garrafa deste whiskey será difícil devido ao baixo rendimento. Possui sabores de chocolate amargo, café e baunilha.

William Larue Weller
Bourbon cuja receita contém trigo. Edições anteriores deste whiskey ganharam muitos elogios, incluindo o "Bourbon do Ano" pela Bíblia do Whisky de Jim Murray na edição de 2016. Este lançamento foi destilado na primavera de 2003 e envelhecido no terceiro e sexto andares dos armazéns. Registra 135,4 proof, um dos mais fortes Weller lançados. Os sabores ousados incluem ameixas, figos e baunilha.

Thomas H. Handy Sazerac Rye
Whiskey de centeio. A edição de 2015 foi nomeada "Melhor Rye Whiskey americano" no World Whiskies Awards de 2016. A edição deste ano foi destilada na primavera de 2010 e envelhecida no quarto, quinto e sétimo andares dos armazéns e possui 126,2 proof. O sabor tem sido descrito como caramelo e canela.

Eagle Rare 17 Anos
A edição anterior deste bourbon foi premiada com uma medalha de Prata no International Wine and Spirits Competition de 2015. A edição de 2016 foi envelhecida no primeiro, segundo e terceiro andares dos armazéns. Este bourbon com 90 proof foi envelhecido por dezessete anos e possui sabores de couro, baunilha, tabaco e toffee.

Sazerac Rye 18 Anos
No ano passado o Sazerac Rye 18 anos foi nomeado o melhor Rye Whiskey de 11 anos ou mais pela Bíblia do Whisky de Jim Murray edição de 2016. Este novo lançamento tem sabores notáveis de fumaça, cravo e especiarias com um acabamento seco. Os barris para este whiskey foram preenchidos em abril de 1998 e será o primeiro lote em anos não retirados do tanque de aço inoxidável como as últimas edições anteriores foram. A partir deste ano em diante, este whiskey será tirado diretamente dos barris onde descansaram por 18 anos, dispensando qualquer tanque de whiskey.

A coleção Antique foi introduzida há mais de uma década e tornou-se um cult entre os conhecedores de whiskey. Desde 2000 estes whiskeys têm recebido inúmeros prêmios de publicações notáveis como Whisky Advocate Magazine, Spirit Journal e a Bíblia do Whisky de Jim Murray.

A Coleção Antique de 2016 estará disponível em quantidades limitadas a partir do final de setembro ou início de outubro. O preço sugerido é de $90 cada. Para mais informações visite http://www.buffalotracedistillery.com/brands/antique-collection.


Fonte: whiskyintelligence.com


terça-feira, 20 de setembro de 2016

Destilaria Ardbeg anuncia expressão limitada de 21 Anos


Após anos de especulação sobre quando a Destilaria Ardbeg poderia trazer um novo single malt com uma declaração de idade, a espera acabou. A destilaria de Islay anunciou que uma edição limitada de 21 anos de idade será lançada em outubro. De acordo com o Dr. Bill Lumsden, Whisky Maker da Glenmorangie Company, proprietária da Ardbeg, o whisky de edição limitada estará disponível nos EUA, Reino Unido, Japão, Taiwan, Alemanha, Escandinávia e outros mercados.

Até agora, o Ardbeg 10 tem sido a única expressão lançada com uma declaração de idade desde que a destilaria reabriu em tempo integral em 1997, depois que foi comprada pela The Glenmorangie Company. De acordo com a destilaria, o whisky para esta expressão foi destilado em 1993 e 1994, quando a Ardbeg pertencia a Allied Domecq e operava apenas por algumas semanas a cada ano para produzir whisky de malte turfado principalmente para uso em blends. Muitas das destilarias de whisky escocês da Allied Domecq foram posteriormente incorporadas pela unidade Chivas Brothers da Pernod Ricard após a dissolução da Allied Domecq, e este engarrafamento só se tornou possível graças à contribuição da Chivas Brothers.

A Chivas Brothers concordou em vender o estoque de volta mas, quando se compra barris de whiskies que tenham sido destinado a misturas, nunca se está certo quanto à qualidade da madeira utilizada. Antes da compra, foram enviadas amostras de seis ou mais cascos e estas amostras surpreenderam. O atual gerente da Ardbeg, Mickey Heads, estava trabalhando na destilaria como stillman durante o período em que este whisky fora originalmente destilado, e foi dada a honra de ter a sua assinatura no rótulo para o Ardbeg 21.


O whisky foi amadurecido em barricas ex-Bourbon e engarrafado em 46% ABV sem filtragem a frio. Ele terá um preço de venda recomendado nos EUA de US $499 (garrafas de 750 ml). Os preços variam em outros mercados.

Notas de prova:
Aparência: ouro pálido.
Aroma: fumaça de alcatrão, pimenta preta, notas de plantas.
Paladar: apimentado, alcaçuz, carvão vegetal, hortelã e baunilha, com uma pitada de tempero.

Finalização: longo e calmo acabamento de alcatrão, carvão, anis e manteiga esfumaçada.

A destilaria observou que embora o Ardbeg 21 seja um lançamento limitado, só foram utilizados metade do whisky disponível em 270 barris, o que significa que mais um lançamento será possível no futuro. Ainda, em 2017 irá trazer uma adição permanente para o portfólio de Ardbeg, para se juntar ao 10 anos, Corryvreckan e Uigeadail.


Fonte: whiskycast.com