Whisky

Whisky

quinta-feira, 22 de dezembro de 2016

Toulvaddie Distillery será a primeira destilaria a ser fundada por uma mulher em quase 200 anos


Em uma indústria de séculos de tradição, pode ser difícil começar algo novo que se destaque da multidão. No entanto, Heather Nelson está tentando fazer exatamente isso. Em um antigo campo aero-naval em Ross-shire, nas Highlands, Toulvaddie Distillery será a primeira destilaria de whisky escocês a ser fundada por uma mulher em quase 200 anos, e a única a ser fundada exclusivamente por uma mulher.

Toulvaddie Distillery será uma micro destilaria de whisky com capacidade para produzir cerca de 30.000 litros de álcool por ano. Os alambiques são de tamanho e forma semelhantes aos usados pelos "contrabandistas" de whisky no passado. Este tamanho permite que todo o processo possa ser feito à mão.

As mulheres sempre estiveram envolvidas na produção de whisky. Das esposas de fazendeiros onde funcionaram os alambiques ilícitos após a união entre Escócia e Inglaterra em 1707 até os CEOs atuais das destilarias. Quando perguntada porque decidiu construir uma destilaria, Heather responde que a quantidade de destilarias existentes que produzem sabores tão diferentes e o estudo do que influencia esses sabores a atraiu. Foi quando começou a olhar o processo mais profundamente. E quanto mais estudava, mais forte era o seu desejo de realmente fazer o seu próprio espírito.


A destilaria deverá ser construída no local de uma velha base aérea da Marinha Real onde os pilotos dos bombardeiros eram treinados em como aterrar nas plataformas de porta-aviões.


Fonte: whiskyintelligence.com

segunda-feira, 19 de dezembro de 2016

Lançamento do Ballantine's 21 Year Old American Oak


Ballantine's, whisky escocês nº 1 da Europa e o nº 2 do mundo, lança a segunda edição da série Signature Oak, O Ballantine's 21 Year Old American Oak, disponível exclusivamente nas lojas Duty Free.

Após o sucesso do Ballantine's 21 Year Old European Oak, apresentado em 2015, a edição limitada é um whisky de prestígio excepcionalmente suave que celebra os sabores trazidos pela madeira de carvalho durante o envelhecimento e é ideal para o viajante exigente que procura um presente original para levar para casa.

O whisky distinto e cremoso exibe a característica doce da baunilha e a influência do barril de carvalho americano. É uma homenagem ao fundador e visionário George Ballantine, que reconheceu a importância do barril no desenvolvimento de whiskies raros e complexos.

As qualidades dos cascos de carvalho americano são reveladas com perfeição na assinatura desta edição. Com suavidade e profundidade de sabor, é a expressão máxima da influência da madeira.

O Ballantine's 21 Year Old American Oak está disponível exclusivamente em lojas Duty Free a um preço de venda sugerido de USD $140.

Ballantine's 21 Year Old American Oak: Notas de Prova
Nariz: notas frutadas vibrantes de pêssego maduro, créme brûlée, creme de baunilha e amadeirado doce.
Sabor: sabores de laranja e chocolate, fudge de baunilha com um tempero de gengibre.

Acabamento: mel suave e doce.


Fonte: whiskyintelligence.com

terça-feira, 13 de dezembro de 2016

Desvendando Nº 48: Glen Moray 12 Anos


Fazendo parte da família Ardbeg e Glenmorangie, a pequena Glen Moray sempre passou despercebida. Começou como cervejaria e se transformou em destilaria em 1897. Com 60 anos de experiência na produção de cerveja Ale, era preciso pouco para levar o processo adiante e transformar a cerveja em whisky. Seus whiskies são admirados, mas nunca se destacaram como glamourosos.

A casa lutou para sobreviver nas primeiras décadas, até ser comprada pelos blenders Macdonald & Muir (que mais tarde se tornou Glenmorangie), seus proprietários até 2004, quando então foi vendida para a LVMH. Hoje faz parte do grupo francês La Martiniquaise, que a adquiriu em 2008.

Localizada em terreno pantanoso, perto do rio Lossie, nas imediações de Elgin, a destilaria caracteriza-se por seu entusiasmo pelo envelhecimento final em barris de vinho, talvez por influência de seus donos que lidavam com vinhos e destilados. Os primeiros envelhecimentos com Chardonnay e Chenin Blanc datam de 1999. O uso de barris de vinho branco foi uma inovação no ramo.


Glen Moray extrai sua água de uma nascente ao lado do rio Lossie e usa cevada maltada levemente turfosa. O whisky é maturado principalmente em tonéis de carvalho americanos previamente usados para bourbon, com uma alta proporção de barris de primeiro uso. Alguns tonéis especiais são reservados para edições limitadas, em tradicionais armazéns dunnage no local.

O carro-chefe da destilaria é o Glen Moray Classic, sendo o segundo malte mais vendido na Escócia e, principalmente através de vendas de supermercado, seu whisky continua um malte introdutório dos mais vendidos no Reino Unido.

O que pude perceber:
Características: cor palha claro, pouco corpo.
Aroma: herbal e floral. Possui um pouco de álcool um tanto quanto desagradável no início, algo como acetona, que agride um pouco as narinas. Driblado o álcool (o ideal é deixar descansar no copo por alguns minutos) surgem aromas de malte e nozes. No nariz ele parece ter bem mais corpo do que o verificado através da análise de suas lágrimas. Aromas de pipoca e cereais também podem ser sentidos. Com a adição de um pouco de água, libera algumas notas, frutado, amadeirado, terra molhada e couro. O aroma desagradável de acetona some. Com uma pedra de gelo o herbal toma conta. Desta vez notam-se aromas de grama.
Paladar: quente, picante, cereais, um certo azedo na boca, um pouco ardido também. O ardido lembra um pouco de gengibre. Tem uma finalização média, de malte. Com a adição de água continua o gengibre e agora há uma certa picância de especiarias, além do malte. Sua finalização fica um pouco mais picante, mais seca e um pouco mais duradoura. Com o gelo, o paladar corrobora o que foi sentido no aroma, destacando, principalmente, o sabor herbáceo. A picância do gengibre some. Continua ardido, mas agora mais suave. O final, agora, fica mais fresco e dura menos.


O que dizer deste whisky? Vindo, originalmente, dos mesmos controladores da destilaria Glenmorangie, esperava mais. Mas pelo histórico do pouco caso deles para com a destilaria dá para entender. Deu trabalho analisar este whisky. Mas vamos combinar que analisar whisky é sempre bom que tenhamos mesmo sempre muito trabalho. Foram necessárias mais de uma dose (sacrifício).

É um whisky que não se revela. É fechado. Sua principal característica é tentar se manter assim. Foi difícil desvendar suas notas de aromas e sabores. Um whisky bruto, no sentido de que não quer “falar” com ninguém. É deixando-o descansar e adicionando um pouco de água que suas nuances começam a aflorar. Com algumas gotas de água, seus principais aromas começam a se revelar, e é desta forma que eu considero que ele deve ser melhor apreciado. O gelo, por sua vez, bagunçou tudo novamente, fechando portas que haviam sido abertas.

O whisky é suavizado em barris de Chenin Blanc. Acredito que, não fosse esta finalização, teríamos algo bem ruim. Como disse no início, esperava mais. Não é um whisky complexo, é bem simples até. Vale para conhecimento, mas não é um whisky que eu recomendaria como um bom whisky. Há muitos blendeds que se sobressaem a este single malt.




Glen Moray 12 Anos

Single Malt: Speyside Teor Alc 40%


Este é um malte clássico e leve de Speyside, com aromas de algodão-doce e notas de mel de urze. Na língua há um sabor suave de frutas secas e cascas de laranja.

terça-feira, 29 de novembro de 2016

Desvendando Nº 47: Grant's Cask Editions Sherry Cask Finish Nº 2


A história do Grant´s remonta a 1866, quando William Grant tornou-se guarda-livros da Mortlach, a destilaria local. Ele mostrou grande talento para o processo de produção de whisky e logo se tornou gerente.

Vinte anos depois, William e a família criaram a emblemática Glenfiddich Distillery, que ainda é o centro da empresa. Eles próprios fizeram grande parte da construção, e o primeiro destilado jorrou dos alambiques no Natal de 1887.

Em 1979, o Grant's vendeu mais de um milhão de caixas de whisky no Reino Unido, estabelecendo-se firmemente como uma das marcas preferidas do país. Desde então continuou a crescer em ritmo excepcional, respondendo à demanda dos consumidores mundiais de scotch. A Grant's agora vende cerca de 4 milhões de caixas de whisky por ano e é uma das 5 maiores marcas de whisky escocês, saboreada em mais de 180 países.


Em setembro de 2001 a Grant's resolveu inovar e lançou duas edições do Grant's Family Reserve com acabamentos diferentes. Antes do engarrafamento, esses whiskies são finalizados em barris de Ale ou Sherry, onde o destilado envelhecido absorve certas notas e sabores característicos dos barris.

O que pude perceber:

Características: cor dourado claro, corpo médio.
Aroma: assim como foi com o Nº 1, o Nº 2 possui também um pouco do álcool pronunciado. Quando se dribla o álcool, o que toma conta desta vez é o sherry. Carvalho, notas adocicadas de baunilha. Também estão presentes notas frutadas, dá para notar algo como maçã ou pera, junto com uma certa picância. O apimentado se mistura com o carvalho. Notas florais também estão presentes. Terra molhada, chocolate amargo. Há uma infinidade de aromas bem complexos e agradáveis. Colocar algumas gotas de água é o suficiente para liberar um aroma mais terroso, mais encorpado. Cereais crocantes, chocolate, frutas secas aparecem. O adocicado da baunilha some um pouco, evidenciando mais as notas amadeiradas. O álcool também fica mais suave. Uma pedra de gelo deu um tom mentolado no aroma. O frutado toma conta. O álcool some. O gelo retém um pouco do apimentado, das especiarias. Mas elas estão lá, prontas para agir a qualquer momento. Permanece também um amadeirado sutil e uma certa doçura.
Paladar: doce, frutado, um pouco de baunilha. Logo em seguida vem uma certa picância. O calor preenche a boca. Cremoso. Percebe-se a presença de frutas secas e canela. O álcool no paladar não é evidente. Especiarias tomam conta no final apimentado. Um defumado sutil aparece, deixando a boca seca e um gostinho de quero mais. A adição de um pouco de água salientou as notas picantes, de especiarias. Ficou mais condimentado, de forma que desta vez senti uma certa dormência na boca. Continua cremoso e amadeirado. Com uma pedra de gelo, assim como aconteceu no aroma, as frutas tomam conta. Primeiro sente-se frutas frescas, maçãs e peras, depois passam para frutas secas, cristalizadas. Desta vez aparece um pouco da baunilha e sua doçura, para então, finalizar novamente com especiarias e seu toque apimentado, porém agora, sem a dormência na boca.


É um whisky que eu curti bastante. Primeiramente para matar a curiosidade com os lançamentos da Grant's e suas finalizações em diferentes barris. Em segundo, porque o sherry é um dos meus barris preferidos para a maturação de whisky. E essa expressão me agradou bastante. Ele é preparado da mesma maneira que o finalizado em barril de Ale, neste caso, usando barris espanhóis de sherry oloroso.

Complexo e muito bem balanceado, consegue juntar aromas e sabores de forma bem harmoniosa. Ainda assim, na minha opinião, para ele, o que funcionou melhor foi a adição de um pouquinho de água.




Grant's Cask Editions Sherry Cask Finish Nº 2

Blend Teor Alc 40%


Este whisky é preparado com finalização em barris de sherry oloroso, que provoca um paladar aquecido, rico e frutado.

segunda-feira, 28 de novembro de 2016

Novo recorde de preço em leilão para uma garrafa de whisky


Um novo recorde mundial de preço em leilão foi marcado para uma garrafa de Yamazaki 50 anos de idade (3rd Edition) quando foi vendida por HK $ 588.000 pela casa de leilões Bonhams, que leiloou vinhos finos e raros, cognac e single malts em Hong Kong no dia 18 de Novembro.

Houve também uma forte presença da Macallan com a venda de garrafas vintages que inclui o velho Macallan Lalique 62, vendido por HK $ 269.500.

No total, as vendas arrecadaram mais de HK £ 14.000.000.


Fonte: whiskyintelligence.com


sexta-feira, 18 de novembro de 2016

Highland Park inflama sua herança Viking com Fire Edition


A destilaria Highland Park anunciou o lançamento de um novo single malt de edição especial. Fire Edition é um whisky que foi amadurecido exclusivamente em barris de vinho do Porto e segue o lançamento do Ice Edition no início deste ano. Isso completa a série de duas partes de engarrafamentos de edição especial que celebra os mitos e as lendas da época dos Vikings.

Amadurecido 100% em barris de vinho do Porto de segundo uso, é uma experiência pioneira e o resultado é um vibrante single malt de 15 anos de idade com um ABV de 45,2%. Fire Edition tem uma tonalidade natural ligeiramente avermelhada, aromas intensos de frutas vermelhas, fumaça de turfa e um final longo e persistente.

O vidro requintado de coloração vermelho carmesim foi especialmente encomendado para representar o mundo feroz dos Gigantes de Fogo da mitologia Viking. O frasco é envolto em um berço de madeira preta. Um livreto que acompanha a garrafa conta a história do reino dos Gigantes de Fogo e sua batalha épica contra os deuses para governar o mundo.

Fire Edition está disponível em lojas especializadas em whisky a um preço sugerido de £ 190.

Notas de Prova - 15 anos - 45,2% ABV
Cor: cor natural de chamas ardentes resplandecentes.
Nariz: aromas vibrantes e intensos de frutas vermelhas, doçura de baunilha e amargo da casca de canela. Chocolate escuro.
Paladar: fumaça, frutas secas, sabor picante e baunilha. Especiarias encantam o paladar.
Acabamento: intensamente equilibrado. O longo e persistente final é doce, complementado por um tempero frutado, proporcionando um whisky fascinante de se apreciar.


Fonte: whiskyintelligence.com


sexta-feira, 11 de novembro de 2016

Desvendando Nº 46: Grant's Cask Editions Ale Cask Finish Nº 1


A William Grant & Sons prospera em Speyside desde 1887, quando William Grant e sua família inauguraram a destilaria Glenfiddich. Grant teve longo aprendizado em destilarias concorrentes e aplicou o conhecimento adquirido em seu próprio negócio. A empresa é renomada por voltar suas atenções ao whisky e pela determinação em passar isso de uma geração a outra. É famosa também pela destilaria Glenfiddich e pela fornecedora de single malt, Balvenie. Um terceiro malte é produzido, o Kininvie, reservado para blending.

A Grant's construiu uma destilaria de grãos em Girvan, em 1963. Escolhido pelo fácil acesso aos suprimentos de milho norte-americano, o local se expandiu e uma nova destilaria de malte, a Ailsa Bay, foi inaugurada pouco tempo atrás. Sua produção é reservada para blending, já que a empresa controla seus suprimentos de whisky de perto. Há uma boa razão para isso: o blend Grant's Family Reserve ultrapassou a barreira de 1 milhão de unidades em 1979 e continua crescendo em ritmo excepcional para atender à demanda de consumo de whisky escocês.


Hoje a Grant's vende cerca de 4 milhões de unidades por ano e é uma das cinco maiores marcas no mundo. O fato de a empresa estar em mãos privadas, e não se sujeitar a pressões de acionistas, possibilitou que os blenders da Grant's trabalhassem com um estoque impressionante, com algumas expressões de 40 anos atrás. A produção de blended whisky permanece fiel à garrafa triangular que caracteriza as bebidas da empresa.

O que pude perceber:
Características: cor palha claro, médio corpo.
Aroma: no início um pouco do álcool pronunciado. Driblado o álcool, o adocicado toma conta. Suave, baunilha, mel e, como não poderia deixar de ser, um certo toque de cerveja, aquelas em que o malte é bem pronunciado. O aroma é realmente bastante agradável. Os whiskies de grãos também são perceptíveis, mas não influenciam muito. Também dá para notar algo cremoso e frutado que deixa o aroma bem equilibrado. Com um pouco de água os cereais são mais evidenciados, assim como um aroma mais amargo. Aparece também um pouco de frutado, puxando para frutas cítricas, e por fim a baunilha e o mel aparecendo para dar o toque final adocicado. Com uma pedra de gelo o aroma é o de uma cerveja pilsen. Fica bem fresco, com um frutado pronunciado. A baunilha e o mel teimam em estar presentes mas o aroma de cereais, antes bastante presente, se contrai um pouco.
Paladar: primeiramente o gosto dos whiskies de grãos e uma certa dormência na boca devido ao álcool. Depois vem o adocicado, uma mistura de baunilha, malte e mel. O gosto final é como se estivesse bebendo a espuma de uma cerveja. Bem interessante. Um leve amargor também fica. Como no aroma, há um certo equilíbrio também no paladar. A adição de água ameniza o álcool, mas também como ocorreu no aroma, evidencia mais os whiskies de grãos, privilegiando um sabor amargo de início, e só depois, na finalização, aparece um pouco do frutado, da baunilha e do mel. Permanece na boca um gosto de malte e a cerveja novamente se faz presente. O gelo retirou o sabor amargo que antes era sentido, deixando somente o frutado, o mel e a baunilha. Permanece o adocicado e a finalização de espuma de cerveja.


O Grant's Ale Cask combina as notas da cerveja Edinburgh Strong Ale, produzida pela Caledonian Brewing Company. A ligação entre cerveja e whisky parece incompatível, mas é um whisky interessante. A finalização em barris de cerveja proporciona algo mais do que simplesmente sair do lugar comum. A cerveja deu um toque de amargor, típico das cervejas, mas ao mesmo tempo há uma doçura que se contrapõe, deixando um sabor bem complexo, bem casado, macio. Combinação bem interessante. Embora o álcool seja um pouco pronunciado, não incomoda.

Também é gratificante experimentar pela primeira vez um whisky diferente e tentar descobrir, aos poucos, todas as suas nuances. A Grant's conseguiu entregar para seu público uma bebida bem equilibrada, além de uma opção a mais dentro do vasto mundo do whisky com diferentes finalizações.





Grant's Cask Editions Ale Cask Finish Nº 1
Blend Teor Alc 40%


A Grant's se aventurou a criar finais amadeirados especiais e obteve grande sucesso. Este é um whisky escocês finalizado em barris que antes armazenaram cerveja. Os cascos de cerveja feita de malte dão à bebida um sabor único e cremoso de malte e mel.